Topo

Cruzeiro prioriza dívidas antes de gastar 'cota Arrascaeta' com reforços

Bruno Haddad/Cruzeiro
Antes de ir ao mercado, Cruzeiro vai quitar algumas dívidas com a grana de Arrascaeta Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro
do UOL

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

13/01/2019 04h00

Com os cofres cheios depois da saída de Arrascaeta, o Cruzeiro não pretende gastar tudo que arrecadou em contratações. Apesar de correr atrás de uma reposição para o elenco, a diretoria pretende quitar pelo menos algumas das suas dívidas mais preocupantes no momento. Duas deles estão relacionadas ao próprio uruguaio, enquanto a outra é com o Flamengo.

Dos cerca de 13 milhões de euros (R$54,6 milhões) que o Cruzeiro levou para ceder o jogador, o Supermercados BH também tem direito a uma fatia como parceiro do clube. Porém, o Cruzeiro vai ficar com a maior parte, cerca de 11 milhões de euros (R$ 46,2 milhões). O valor foi informado pelo vice-presidente de futebol, Itair Machado, em entrevista ao Globoesporte.com. Desta grana, o time irá destinar uma parte para dar fim às suas pendências.

A primeira dívida relacionada à Arrascaeta é com o Defensor, do Uruguai, ex-clube do atleta. O Cruzeiro ainda deve ao clube cerca de 1 milhão de euros (cerca de R$ 4 milhões). Porém, quando comprou o jogador, o clube também adquiriu o atacante Gonzalo Latorre como contrapeso. Em 2017, o Atenas, ex-time de Latorre, acionou o Cruzeiro na Fifa pelo não-pagamento de US$ 3,7 milhões, R$ 12 milhões à época.

Por último, o clube também quer resolver sua situação com o Flamengo sobre Mancuello. Comprado em 2018, a Raposa também não terminou de quitar as parcelas pelo argentino, levando o time carioca a recorrer na CBF para cobrar o pagamento que hoje gira em torno de R$ 3,5 milhões. Juntas, essas pendências financeiras tomariam do Cruzeiro R$ 19,5 milhões, restando R$ 26,7 milhões para a diretoria se reforçar.

Depois de quitar algumas dívidas, mas ainda com dinheiro nos cofres, alguns nomes já aparecem ou voltam a entrar no radar do Cruzeiro. Um deles é Rodriguinho. Em rota de saída do Pyramids, o brasileiro já aceitou os valores para jogar na equipe celeste e aguarda a negociação entre os clubes. Além de Rodriguinho, outro que pode voltar à pauta celeste é Bruno Henrique.

O atacante foi alvo do Cruzeiro no final do ano passado, mas a Raposa não teve forças para tirá-lo do Santos. Agora reabastecido financeiramente, uma nova procura poderá acontecer em breve. Fechando a lista de desejos, não está descartada uma investida por algum lateral esquerdo. A diretoria nunca escondeu a ideia de reforçar o setor, e pode iniciar as tratativas para contratar Dodô, que não se acertou com o Santos.

Mais Esporte