PUBLICIDADE
Topo
Esporte

Esporte

Não são só os gols: Por que Leandro Damião é tão importante para o Inter

Centroavante está liberado pelos médicos e pode começar jogo de domingo, no Beira-Rio - Ricardo Duarte/Internacional
Centroavante está liberado pelos médicos e pode começar jogo de domingo, no Beira-Rio Imagem: Ricardo Duarte/Internacional
do UOL

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

13/10/2018 04h00

Leandro Damião deve voltar ao time do Inter na partida contra o São Paulo, neste domingo (14), no Beira-Rio. E o regresso é muito comemorado. Sem ele, o Colorado perde muito além do poder de conclusão e acaba caindo de rendimento em todo setor ofensivo.

Nos últimos 12 jogos do Inter, Damião só esteve em campo durante os 90 minutos em um. Foi diante do Corinthians, quando marcou o gol gaúcho no empate em 1 a 1. Nas demais partidas, sempre saiu antes do fim ou entrou no decorrer do jogo.

Tudo reflexo de um problema que o acompanha durante toda temporada: as dores nas costas. Aparentemente recuperado deste quadro, na última semana ele ainda sofreu com uma lesão muscular na coxa direita, que vive fase final de recuperação e já não deve ser empecilho para a 29ª rodada.

Sem substituto: ninguém faz o que ele faz

A primeira razão para importância de Damião além da presença no placar (ele tem cinco gols no Brasileiro) se dá pela ausência de substituto de igual característica. Jonatan Alvez, contratado como alternativa natural, prefere buscar o apoiado na linha de meio, congestionando o setor de criação. Já William Pottker, que atuou como centroavante diante do Sport, atua na mesma linha da defesa rival, mas ao invés de trabalhar como pivô para aproximação dos extremas e centrais prefere os lançamentos longos para utilizar a velocidade, sua principal arma.

Desta forma, Damião não tem qualquer jogador que se assemelhe a ele no grupo vermelho, forçando alteração na característica do processo ofensivo a cada ausência.

Profundidade: ele empurra a defesa para trás
A presença de Leandro Damião como alternativa tática vai além do momento em que ele recebe a bola. Quando não a tem, é o comandante de ataque o responsável por 'empurrar' a defesa rival para trás. O atleta de 29 anos dá profundidade ao time posicionando-se sempre à frente e forçando que os defensores caminhem em direção ao próprio gol para acompanhá-lo.

Desta forma, ele amplia o espaço entre o meio-campo e a defesa do adversário e é nesta lacuna que trabalham os centrais (Patrick e Edenílson) e extremas (Nico e Pottker). A presença de Damião força um desajuste na compactação adversária, que não ocorre quando é Pottker, Alvez, Nico ou até mesmo D'Alessandro que já foi testado na função.

Força para segurar: Damião dá tempo para o time

Hoje em dia, muitos jogadores de meio-campo carregam o rótulo de 'temporizador' dos times. Aqueles que controlam a posse de bola e facilitam a movimentação dos adversários. Arthur, hoje no Barcelona, fazia isso no Grêmio. Lucas Paquetá, que vai para o Milan, também fazia no Flamengo. Mas no caso do Inter, quem dá o tempo para movimentação em bloco é Damião.

Optando por evitar toques curtos pelo centro na transição, o time de Odair Hellmann tem no pivô do camisa 9 a alternativa para que os demais jogadores do setor ofensivo consigam adiantar-se. Quando a bola vai em Damião, ele utiliza a força para proteger do adversário e os segundos que ganha nas fortes batalhas contra os zagueiros e volantes servem para avanços dos meio-campistas e laterais. Com a aproximação, surge a construção da fase ofensiva do time.

Atacar defendendo: ele começa a marcação

E mesmo jogador mais ofensivo da equipe, é ele o responsável por começar a marcação no adversário. Não é raro ver Damião deslocando-se em velocidade numa bola dominada pelo goleiro rival, ou mesmo jogadores de linha. Tudo para pressionar, atrapalhar, tentar bater na bola para que ela chegue mais fácil de ser retomada na linha de meio ou defesa.

Um dos que já sofreu com tal pressão foi Cássio, goleiro do Corinthians. No duelo entre as equipes, por pouco não sofreu um gol ao demorar para repor e ver Damião pressionar a saída.

Contra o São Paulo, neste domingo às 16h (de Brasília), o centroavante deve voltar ao time titular. E com ele, toda movimentação retoma o ritmo responsável por contribuir diretamente com a boa campanha realizada pelo Colorado no Brasileiro.

Esporte