PUBLICIDADE
Topo

Temor por exame de Telê fez Muricy virar técnico do São Paulo pela 1ª vez

Luiz Carlos Murauskas / Folha Imagem
Imagem: Luiz Carlos Murauskas / Folha Imagem
do UOL

Do UOL, em São Paulo

07/04/2015 06h00

Um técnico ídolo deixa o comando do São Paulo com problemas de saúde. A frase que se encaixa na história de Muricy Ramalho desta semana, também poderia ser usada para lembrar a saída de Telê Santana do Tricolor Paulista, há cerca de 19 anos.

A história da saída de Telê começou a ser contada no dia 30 de janeiro de 1996, quando o então treinador do São Paulo foi afastado para realizar exames no coração. Na ocasião, coincidentemente, quem assumiu o clube foi o auxilar Muricy, que venceu após o afastamento do técnico titular.

"A vitória (por 3 a 0 contra o XV de Jaú pelo Campeonato Paulista) foi de Telê, que tanto trabalha pelo São Paulo. Que volte logo", disse Muricy, em entrevista para a Folha de S.Paulo.

Só que o retorno de Telê acabou sendo adiado e adiado. "Ainda não fui liberado pelos médicos. Além disso, só quero retornar quando estiver totalmente recuperado, levando uma vida normal, sem qualquer restrição", explicou depois de 40 dias afastado do cargo.

Os dois exames realizados pelo Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia não eram a melhor opção inicial para o seu caso, e ambos tinham um risco potencial de provocar um AVC isquêmico. A família do ex-treinador alega que houve erro médico na realização dos exames de rotina.

O afastamento no final de janeiro seria definitivo na carreira de Telê Santana. Muricy Ramalho, então, acabou efetivado como técnico titular.

Só que Telê não estava certo que seria o final de sua carreira: alguns meses depois ele acertou para ser diretor-técnico do Palmeiras, cargo que nunca chegou a assumir, dada sua condição de saúde.

Muricy Ramalho completou sua primeira passagem como técnico principal no São Paulo até o final de 1996 - Darío Pereyra foi o escolhido para começar a temporada 1997.

Ao longo dos anos, o estado de saúde de Telê Santana foi piorando, até ele morrer em 2006, mesmo ano em que Muricy Ramalho retornou para sua segunda passagem como técnico do São Paulo - e deu início à campanha do tricampeonato brasileiro (2006, 2007 e 2008).

Nove anos depois, Muricy Ramalho encerra sua terceira passagem pelo São Paulo também com problemas de saúde: em meio a uma crise de desempenho do time em campo e sofrendo com uma diverticulite, o pupilo de Telê deixa o Tricolor Paulista para cuidar de sua saúde.

Esporte