Topo

Gareca não resiste a maus resultados e é demitido pelo Palmeiras

do UOL

Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo*

01/09/2014 15h31

* Atualizada às 15h39

A diretoria do Palmeiras se reuniu nesta segunda-feira à tarde e definiu que Ricardo Gareca não é mais treinador do clube. A decisão foi tomada na Academia de Futebol com a presença do técnico. A derrota do time contra o Internacional no sábado, 1 a 0, no Pacaembu, somada a maus resultados ao longo do Brasileirão foram determinantes para a queda do argentino de 56 anos.

O Palmeiras faz péssima campanha no Nacional. São 17 pontos em 18 jogos, em 16º lugar, uma posição acima da zona de rebaixamento. Em 13 jogos sob seu comando, o Palmeiras venceu quatro vezes, empatou uma e perdeu oito vezes.

“A Sociedade Esportiva Palmeiras agradece os serviços prestados pelo técnico e deseja sorte na sequência de sua carreira”, destacou o Palmeiras em seu site oficial.

O UOL Esporte apurou que Dorival Júnior é o nome preferido para assumir o comando técnico. Na vaga de Gareca, o Palmeiras será dirigido interinamente por Alberto Valentim, que já comandou a equipe em sete jogos no ano (quatro vitórias, um empate e duas derrotas).

Após a decisão, o técnico revelou a frustração por sair antes do previsto e disse que ficaria até o final com o time.

“Uma situação difícil, um técnico estrangeiro no Brasil. É complicado. Não tive os resultados esperados. Queria ter ficado aqui e tirar o time desta situação ruim. O clube teve respeito comigo e entendo a decisão, não estou decepcionado com a diretoria. A decepção é com os resultados ruins”, disse o ex-técnico alviverde.

Gareca aproveitou e agradeceu pela passagem no clube brasileiro, fazendo um pedido de desculpas à torcida, que o apoiou mesmo com os maus resultados.

“O Palmeiras é um clube magnífico. Peço desculpa ao torcedor. Só tenho a agradecer ao clube pela oportunidade”.

A demissão do argentino vai em desencontro com o discurso propalado pela diretoria alviverde até pouco tempo atrás.

A cada derrota, os dirigentes destacavam que Gareca não era o culpado, enfatizando a necessidade da manutenção da filosofia de trabalho para que o time se ajustasse. Mas o posicionamento dos diretores não resistiu a seguidos tropeços da equipe.   

Indagado no sábado à noite sobre a possibilidade de cair (pouco após a derrota contra o Inter), Gareca informou que não tinha intenção de largar o trabalho. Ele havia destacado o apoio da diretoria.

“É um momento difícil e duro, mas estou convencido do meu trabalho e o que eu posso dar. A diretoria confia em nós, e eu seguirei até as últimas consequências. Eu creio no plantel e quero devolver a confiança que a diretoria me deu quando me contratou. Não quero sair dessa maneira”, afirmou Gareca ao site oficial do Palmeiras, no sábado.

“Não quero sair desta maneira. Dirigir um time no Brasil e ainda o Palmeiras é o melhor que já passou em minha carreira. Quero seguir, não quero deixar o Palmeiras nessa situação”, acrescentou.

Gareca montou legião estrangeira no Palmeiras

A passagem de Gareca no Palmeiras foi curta. O treinador começou trabalho no Palmeiras em junho deste ano valorizado pela campanha do Vélez Sarsfield, quando foi elogiado por montar time competitivo com poucos recursos.

O argentino tinha assinado vínculo com o Palmeiras até junho de 2015, carregando dois profissionais para comissão técnica.

No comando do time, Gareca teve carta branca para trazer jogadores sul-americanos. O Palmeiras montou uma legião estrangeira, com oito gringos, a maioria vindo por indicação de Gareca. Pesou contra o treinador o fato de nenhum atleta contratado ter apresentado grande performance em campo.

O elenco do Palmeiras conta com os uruguaios Victorino e Eguren, o paraguaio Mendieta, os argentinos Tobio (foi o primeiro indicado por Gareca), Allione, Mouche e Cristaldo, além do chileno Valdivia.

Nota oficial do Palmeiras

O argentino Ricardo Gareca não é mais técnico da Sociedade Esportiva Palmeiras. Em reunião realizada na tarde desta segunda-feira (01), na Academia de Futebol, o clube decidiu pela saída do treinador. Gareca estava no comando da equipe palestrina desde o fim do mês de junho e, em 13 jogos, obteve quatro vitórias, um empate e oito derrotas.

Com o comandante, deixam o clube o preparador físico Néstor Bonillo e o auxiliar técnico Sergio Santín. Em seu lugar, interinamente, assume Alberto Valentim, que já dirigiu o time em sete jogos nesta temporada – são quatro triunfos, um empate e dois reveses.

A Sociedade Esportiva Palmeiras agradece os serviços prestados pelo técnico e deseja sorte na sequência de sua carreira.

Mais Esporte