PUBLICIDADE
Topo
Entretenimento

Entretenimento

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Exclusivo: Tóquio fez Globo bater recordes na TV e na internet

Seleção brasileira de futebol conquista o ouro na final contra a Espanha, nos Jogos Olímpicos de Tóquio - Clive Mason/Getty Images
Seleção brasileira de futebol conquista o ouro na final contra a Espanha, nos Jogos Olímpicos de Tóquio Imagem: Clive Mason/Getty Images
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

do UOL

Colunista do UOL

10/08/2021 08h01

A cobertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio deu à Globo ainda mais folga na liderança na TV aberta, proporcionando recordes de ibope nas suas manhãs e madrugadas —os horários das competições.

Entre 21 de julho e 8 de agosto, Tóquio e as 21 medalhas que o Brasil ganhou levaram a Globo a crescer 43% na sua média de público nas manhãs, e 20% nas madrugadas.

Os dados são da empresa Kantar Media na sua medição nacional, chamada de PNT (Painel Nacional de Televisão).

Nas madrugadas a média foi de 7 pontos —um recorde histórico.

Já nas manhãs chegaram a 10 pontos (igualando o recorde anterior). Cada ponto nessa medição vale por cerca de 268 mil domicílios sintonizados.

Em São Paulo, a praça mais importante da publicidade, as manhãs cresceram 29%, enquanto as madrugadas dispararam 40% no ibope.

Futebol

A maior audiência dos Jogos foi a final e o bicampeonato olímpico de futebol para o Brasil: 21 pontos e 58% de "share" (58 em cada 100 TVs ligadas).

Em pontos, trata-se de um crescimento de mais de 250% em relação ao que o horário costuma registrar sem Olimpíadas.

Foi também maior ibope aos sábados nos últimos 19 anos na emissora, na média nacional (e em SP também).

Vôlei

Segundo esporte mais querido pelos brasileiros, o vôlei também rendeu o 2º lugar em recordes para a Globo.

A final feminina com os Estados Unidos fez o horário crescer 140% (Brasil ficou com a prata).

Já a disputa pelo bronze pela seleção masculina, contra a Argentina, elevou a audiência em 125% (o Brasil ficou sem medalha).

TV paga

Se na TV aberta a Globo deitou e rolou sobre a concorrência, na TV paga os 4 canais SporTV dedicados à cobertura também fizeram o mesmo.

Os quatro canais somados foram responsáveis por nada menos que 90% da audiência dos canais esportivos pagos no período dos Jogos.

No horário nobre da TV paga (7h à 1h), três dos quatro SporTV ficaram com as três primeiras posições do ranking de audiência.

Os esportes que deram maior ibope para os SporTVs foram o skate, o surfe, o atletismo e a canoagem --o que mostra que a TV por assinatura ainda tem um nicho de público jovem em sua base.

Globoplay e internet

Os canais SporTV somaram mais de 10 milhões de horas consumidas no Globoplay, representando 80% de todo o consumo do Globoplay + canais ao vivo.

O consumo de vídeos no site do "Globo Esporte" mais que dobrou (+103%) na comparação com a média das duas semanas anteriores.

Aqui, mais uma vez, as novas modalidades brilharam: a maior procura foi por vídeos de surfe e skate (e futebol em 3º).

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

Entretenimento