PUBLICIDADE
Topo
Entretenimento

Entretenimento

'Desisti de ser a Tiazinha porque não sabia quem eu era', diz Suzana Alves

Suzana Alves - Reprodução/Instagram/@suzanaalvesoficial
Suzana Alves Imagem: Reprodução/Instagram/@suzanaalvesoficial
do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/04/2021 07h33Atualizada em 21/04/2021 13h26

Suzana Alves ficou conhecida no fim dos anos 90 como a Tiazinha, a personagem sensual do "Programa H", de Luciano Huck, na Band.

No entanto, construir o restante de sua carreira após deixá-la para trás foi mais difícil que ela esperava - ela contou aos fãs em seu Instagram nesta terça (20) que o processo foi bastante apoiado na descoberta de sua religiosidade e a levou a questionar até mesmo a própria identidade.

Essa transição não foi nada fácil. Foi algo que até hoje eu trabalho. Mas não é só a transição da Tiazinha, é da vida, das curas de antes da Tiazinha. Eu tive uma vida antes e ser reconhecida hoje como Suzana e como eu sou e não com uma máscara da personagem é muito lindo e gratificante saber que toda a dor, tudo passou. É uma maravilha.

Apesar da ligação com a Tiazinha, Suzana inicialmente aceitou o trabalho pelo salário. "Eu não tive motivação nenhuma. Eu simplesmente fui fazer. Era só um programa piloto para ganhar dinheiro para ajudar a pagar a minha faculdade. Só isso. Não teve motivação, pelo contrário, eu tinha muito medo de meu pai me ver e me expulsar de casa. Então, não tive motivação, não. Só tive uma oportunidade que eu neguei três vezes até conversar com a minha mãe e até eu ter a ideia de colocar a máscara para me proteger e meu pai nem sonhar em me ver", relembrou.

Mesmo com o sucesso no Brasil inteiro, Suzana decidiu pendurar a máscara e o chicote que a deixaram famosa. "Eu desisti de ser a Tiazinha porque eu não sabia quem eu era. Eu quis buscar a minha identidade. Eu fiz sucesso muito cedo e a personagem estava ficando maior que eu. A Suzana não tinha vida. Eu queria estudar e terminar a minha faculdade de jornalismo que estava trancada por conta do sucesso. Queria ter uma vida anônima de novo, sair, viajar, ter uma família de verdade", explicou a atriz.

Não me arrependo de ter feito a Tiazinha por que tudo o que eu amadureci cedo, por isso falar que hoje eu tenho 42 anos e vivo muito bem comigo mesma. O arrependimento é algo necessário na vida da gente, a gente amadurece.

Entretenimento