PUBLICIDADE
Topo
Entretenimento

Entretenimento

Globo diz que não tolera assédio, mas não comenta demissão de apresentadora

Carina Pereira: ex-apresentadora do "GE" em Minas Gerais é demitida da Globo - Reprodução/Globo
Carina Pereira: ex-apresentadora do "GE" em Minas Gerais é demitida da Globo Imagem: Reprodução/Globo
do UOL

Do UOL, em São Paulo

13/01/2021 14h11Atualizada em 13/01/2021 16h06

A Rede Globo afirmou que comportamentos abusivos e casos de assédio na empresa não são tolerados, após a apresentadora Carina Pereira ser desligada da emissora.

Ontem, Carina alegou ter sido vítima de assédio moral por parte de seus superiores, relatou diferenças de tratamento e também afirmou que chegou a fazer uma denúncia no RH e na ouvidoria da Globo Minas.

A apresentadora disse, ainda, que agora se "sente em paz" por se desligar da empresa.

Procurada pelo UOL, a emissora, por sua vez, repudiou que haja comportamento do tipo dentro dela.

"A Globo não tolera comportamentos abusivos em suas equipes e todo relato de assédio é apurado criteriosamente assim que a empresa toma conhecimento", afirmou por meio de nota.

Contudo, a Globo evitou falar sobre o caso de Carina, que já não faz mais parte do quadro de funcionários.

Segundo a emissora, comentar casos do tipo vai contra regras do seu regimento interno.

"A empresa não comenta questões relacionadas a compliance, pois, de acordo com o Código de Ética do Grupo Globo, assume o compromisso de investigar toda e qualquer denúncia de violação de regras, assim como o de manter sigilo dos processos, não fazer comentários sobre as apurações e tomar as medidas cabíveis, que podem ir de uma advertência até o desligamento do colaborador", completou.

Por fim, a Globo disse que trabalha para que medidas sejam cumpridas e respeitadas.

"A empresa é muito criteriosa para que os estilos de gestão estejam adequados aos comportamentos e posturas que a Globo quer incentivar e para que as medidas adotadas estejam de acordo com o que foi apurado"

Entenda o caso

Carina Pereira saiu da Globo Minas após seis anos.

Ela chegou na emissora depois de se destacar na TV Integração, afiliada da emissora no interior do estado. Foi setorista do Atlético-MG até 2017, quando virou apresentadora do "Globo Esporte Minas" após a saída da jornalista Maira Lemos. Em julho de 2019, quando um novo comando assumiu o setor na capital mineira, Carina saiu da área esportiva e foi escalada para o "Bom Dia Minas", programa em que trabalhava desde então.

Semana passada, ela foi demitida e participou do telejornal, criando um climão.

Ontem, ela decidiu desabafar nas redes sociais contando os episódios que vivenciou.

"Eu nunca escondi nada de ninguém. E aí quando eu saí, muita gente ficou perguntando porque eu saí, ou ficaram tipo: 'Sinto muito, é uma pena'. E eu queria contar um pouco da história, porque não era para sentirem pena de mim. Eu estava aliviada. Foi algo bom que aconteceu na minha vida e eu já estava me planejando", contou.

Para além de narrar os episódios em que se viu assediada moralmente, a jornalista espera ajudar outras pessoas que estão passando pela mesma situação.

"Eu espero contribuir de alguma forma para a vida de alguém que possa estar vivendo uma situação parecida com a minha, que possa falar, que possa lutar pelos seus direitos. E, às vezes, para alguém que está fazendo o outro sofrer e não tem noção do quanto está sendo cruel, pode ser um alerta. Tomara que sirva de alerta ou de inspiração para alguém", disse.

Entretenimento