PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Rapper citado na Forbes é acusado de fraude com cartões de crédito roubados

Artista atualmente está em liberdade condicional após fazer acordo declarando-se culpado por manuseio de arma - Reprodução/Instagram/@nolimitherbo
Artista atualmente está em liberdade condicional após fazer acordo declarando-se culpado por manuseio de arma Imagem: Reprodução/Instagram/@nolimitherbo
do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/12/2020 09h26

O rapper G Herbo e vários membros de sua equipe foram acusados de fraude eletrônica e falsidade ideológica, e responderão a um processo na corte federal nos EUA. De acordo com a acusação, divulgada ontem pelo portal TMZ, os suspeitos usaram detalhes de cartões de crédito e identidades roubadas para pagar jatos particulares, refeições caras, filhotes de cachorro de grife e até mesmo uma vila privada nos últimos quatro anos.

Documentos indicam que a suposta conspiração começou por volta de março de 2016, quando G Herbo, cujo nome verdadeiro é Herbert Wright III, e os outros réus teriam obtido informações de cartões de crédito roubados em "sites obscuros".

"Geralmente, como os réus e os co-conspiradores forneceram informações de cartão de pagamento autênticas, as empresas e indivíduos fraudados processaram com sucesso suas transações e forneceram os bens e serviços", explica a acusação.

O produtor musical do rapper, Antonio Strong, preso desde setembro, seria o principal articulador do esquema criminoso. Os agentes federais afirmam que o rapper entrou em contato com o produtor para obter uma vila privada na Jamaica, em julho de 2017. Antonio, então, providenciou um cartão de crédito roubado para que G Herbo arcasse com as despesas do local.

Em um outro caso analisado, Antonio, identificando-se como o gerente de G Herbo, supostamente contatou uma empresa de animais de estimação em novembro de 2017, para encomendar dois filhotes de cachorro para o rapper com um cartão de crédito roubado.

A empresa desconfiou do método de pagamento, e pediu para que o rapper confirmasse sua identidade. Ele então enviou um print de tela do celular com uma carteira de habilitação duvidosa. Os vendedores até pediram que G Herbo tirasse uma foto segurando o documento, mas ele se recusou.

G Herbo foi considerado um dos 30 artistas musicais mais bem-sucedidos com menos de 30 anos, pela revista Forbes. Além do sucesso financeiro obtido com a música, a revista elogiou o rapper por ele organizar projetos sociais, relacionados a saúde mental de jovens.

Um representante do rapper disse ao TMZ que "ele mantém sua inocência" e espera comprová-la no tribunal. Atualmente, G Herbo está em liberdade condicional por conta de um acordo judicial, em que se declarou culpado de uma acusação de manuseio de armas.

Entretenimento