PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Matheus Campos, de 'As Five', denuncia racismo de motorista de aplicativo

Matheus Henrique Campos em clique nas redes sociais - Reprodução/Instagram
Matheus Henrique Campos em clique nas redes sociais Imagem: Reprodução/Instagram
do UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/12/2020 07h21

Matheus Campos, que interpreta Lito na série "As Five" (Globoplay), diz ter sofrido racismo de um motorista do aplicativo Uber, em São Paulo. De acordo com o ator, após pedir uma corrida na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, foi deixado para trás. "Foi uma ação não muito surpreendente para mim porque já aconteceu seguidas vezes", explica à coluna de Patrícia Kogut.

"Eu moro na Avenida Brigadeiro, em São Paulo, então, é difícil para os carros pararem. Assim que saí do prédio e acenei para o motorista me enxergar, ele acelerou o carro e se distanciou de mim. Eu fui seguindo pela calçada e ele, pela avenida. Por mais que a gente fale do racismo cotidiano, a gente nunca está preparado. É humilhante passar por isso. Por mais que a gente fale, é sempre dolorido", desabafou.

Matheus, de 24 anos, afirmou que reportou o ocorrido à Uber, mas não gostou de "como se deu o contato da empresa". "O atendente pediu que eu fizesse a denúncia contra o motorista, mas eu não acho que as pessoas que prestam um serviço tão precário têm que ser demitidas. Sou a favor da orientação, da instrução."

"Eu quis saber se eles iam demitir o funcionário. Eles disseram que não empregavam ninguém, que só faziam parcerias. Mas colocar mais uma pessoa desempregada em São Paulo passa a ser um problema de todos nós. Eu queria que um diálogo com esse motorista fosse criado para que ele fosse qualificado. Não é porque ele foi racista comigo que quero punição", acrescentou o ator, que faz par romântico com Heslaine Vieira, a Ellen de "Malhação: Viva a Diferença" e "As Five".

"Eles registraram minha reclamação, houve o diálogo, mas eu queria saber o que de fato seria feito com ele. Eles disseram que a ação era sigilosa. Eu decidi conversar com alguns amigos para entender. E por enquanto o procedimento está parado. Em carros de aplicativo, é comum acontecer preconceito."

"Em outra ocasião, o motorista me perguntou se eu estava indo a uma região periférica da cidade. Eu disse que não, mas que, se estivesse, isso não deveria ser levado em consideração. E ele só me perguntou isso porque associou minha cor à periferia. Claro que entra o medo com que todos vivemos, mas entram preconceito e racismo, obviamente", completou.

Em nota, a Uber afirmou considerar "inaceitável" a discriminação relatada por Matheus. "Ressaltamos sempre a importância de reportar esses incidentes à Uber pelo próprio aplicativo, para que possamos tomar as medidas necessárias. Este tipo de comportamento configura violação ao Código de Conduta da Comunidade Uber."

A empresa ainda afirmou que a conta do motorista em questão foi desativada da plataforma e que a Uber "está à disposição para colaborar com as autoridades responsáveis para investigação do caso."

"Sabemos que o preconceito, infelizmente, ainda permeia a nossa sociedade e que cabe a todos nós combatê-lo. Como parte desses esforços a Uber lançou, por exemplo, o podcast Fala Parceiro de Respeito, em parceria com a Promundo, com conteúdos educativos sobre racismo. Além disso, em parceria com as advogadas da deFEMde, a empresa revisou o processo de atendimento na plataforma, a fim de facilitar as denúncias de racismo e acolher melhor o relato da vítima", explica a empresa.

Entretenimento