PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Modelo recebe alta após quase um mês internada e volta para cidade natal

Eloísa Fontes recebeu alta do Instituto Municipal Phillipe Pinel, na Zona Sul do Rio de Janeiro, após ficar 22 dias internada - Reprodução
Eloísa Fontes recebeu alta do Instituto Municipal Phillipe Pinel, na Zona Sul do Rio de Janeiro, após ficar 22 dias internada Imagem: Reprodução
do UOL

Tatiana Campbell

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

30/10/2020 13h18

A modelo Eloísa Fontes, de 26 anos, recebeu alta do Instituto Municipal Phillipe Pinel, na Urca, Zona Sul do Rio de Janeiro, após ficar 22 dias internada. A jovem deixou a unidade na tarde de quarta-feira (28), por volta das 17h. No dia seguinte, ela e a mãe, que estava na cidade desde segunda (26), já estavam de passagens compradas para retornar a cidade natal de Eloísa, Piranhas, no interior de Alagoas.

De acordo com o amigo da família Francisco Assis, a modelo está bem. Ele disse ainda que após deixar a unidade as duas foram até a casa dele para pegarem os pertences e voltar para o Nordeste.

"Ela deixou o Pinel com a mãe por volta das 17h. Os médicos já tinham dito que a Eloísa podia receber alta se tivesse a presença de algum familiar. Ela já estava querendo sair de lá, porque já estava lúcida, estava entendendo o que estava acontecendo. Ela ainda estava meio lenta por causa dos remédios, mas quando chegou na minha casa comeu, comeu bastante até. Ela disse que o remédio dava muita fome. Depois disso, elas se arrumaram e já foram pra rodoviária".

Depois de partirem de de ônibus do Rio na madrugada de ontem, elas chegaram hoje a Alagoas.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Saúde do Rio confirmou ao UOL que a modelo recebeu alta médica e disse que "os detalhes sobre a paciente são restritos a ela e seus familiares".

Eloísa Fontes tem uma filha de 7 anos, fruto de um relacionamento com o produtor executivo russo Vivien Birleanu. Os dois chegaram a se casar em 2014, porém se separaram em 2016. A guarda da menina está com o ex-marido.

Assistência na cidade natal

Francisco Assis disse que a modelo Eloísa Fontes mostrou interesse em continuar o tratamento. De acordo com a Secretaria de Estado de Prevenção à Violência de Alagoas, uma equipe do programa Anjos da Paz vai oferecer assistência psicológica para a jovem.

Esse programa conta com profissionais que orientam e ajudam dependentes químicos. Além disso, Francisco contou que Eloísa vai se tratar em um dos Centros de Atenção Psicossocial de Alagoas.

Relembre o caso

Eloísa nasceu na cidade de Piranhas, no interior de Alagoas. Em 2011, aos 16 anos, conquistou a emancipação para poder morar em São Paulo. A jovem trabalhou para diversas marcas e, em fevereiro de 2019, ganhou espaço na carreira internacional e foi morar nos Estados Unidos. No exterior, ela foi contratada pela Marilyn Agency, em Nova York. A modelo tem no currículo marcas internacionais como Dolce & Gabbana e Louis Vuitton, e capas de revista para Elle, L'Officiel, Grazia e Glamour.

O afastamento da família começou quando ela morava em Nova York. Foi lá também que teve início o que amigos e familiares chamam de "surto". Em junho de 2019, a modelo desapareceu por cinco dias até ser encontrada pela polícia americana andando nua e muito confusa mentalmente pelas ruas da cidade.

Em fevereiro de 2020 a modelo retornou ao Brasil sem avisar a família. A jovem ainda tentou uma parceria com uma agência em São Paulo, mas por causa da covid-19, ela pediu para que esperassem a situação melhorar.

Eloísa Fontes teve um relacionamento com um rapaz que morava na Zona Oeste do Rio, mas após um novo surto, deixou a casa do namorado para viver em situação de rua. Ela chegou a morar em comunidades como Cidade de Deus e Jacarezinho, nas zonas Oeste e Norte da cidade.

Durante esse período, a modelo foi internada pelo menos duas vezes até ser encontrada desorientada, no início desse mês, no Morro do Cantagalo, em Ipanema, na Zona Sul do Rio. Eloísa Fontes foi levada para o Pinel e ficou na unidade até essa quarta-feira.

Entretenimento