PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

GloboNews é contra governo e Record News é "chapa-branca", diz pesquisa

GloboNews é visto em pesquisa como um canal tendencioso e contrário ao governo - Divulgação
GloboNews é visto em pesquisa como um canal tendencioso e contrário ao governo Imagem: Divulgação
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

do UOL

Colunista do UOL

29/10/2020 00h09

Uma pesquisa inédita, realizada por dois dos grandes institutos de pesquisa do país, aponta qual é a imagem que as emissoras de TV paga noticiosas têm diante dos telespectadores que a consomem.

As pesquisas —diferentes— foram feitas pela Real Time Big Data e Kantar Ibope Media.

Embora a pesquisa tenha sido feita a pedido da CNN Brasil, seu resultado é imparcial e não visa (obviamente) agradar à contratante. A credibilidade destes institutos está em jogo, afinal.

Foram ouvidas no total 2.769 pessoas em 10 Estados brasileiros.

Vamos aos resultados:

Segundo o Ibope, 69% dos entrevistados consideram a Globo parcial e tendenciosa contra o governo.

Para 22% ela é imparcial e somente 2% dizem que ela é a favor de Jair Bolsonaro.

Na mesma pesquisa a Record News é apontada como uma espécie de "porta-voz" informal do governo, uma emissora chapa-branca: 46% dos entrevistados dizem que ela é "pró-governo", enquanto 30% a acham imparcial.

Na outra ponta da tabela estão a CNN Brasil e a BandNews.

A CNN acabou sendo avaliada como a mais isenta de todas: 52% a consideraram isenta; 17% contrária ao governo; 13%, a favor, segundo o Ibope.

Já a Big Data Real Time apontou que ela é isenta para 49%; contra o governo por 18% ; e a favor do governo por 13%.

Nessa pesquisa a GloboNews é vista como imparcial por 28%; contra o governo por 65%; e vista como pró-governo por apenas 1%.

A BandNews é a segunda emissora melhor avaliada em termos de isenção.

Ricardo Feltrin no Twitter, Facebook, Instagram e site Ooops

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Entretenimento