PUBLICIDADE
Topo

Coppola x Botelho: Monalisa ameaça encerrar debate na CNN após farpas

Monalisa Perrone apresenta "O Grande Debate", na CNN, com Caio Coppola (à dir.) e Augusto de Arruda Botelho (à esq.) - Reprodução/CNN Brasil
Monalisa Perrone apresenta "O Grande Debate", na CNN, com Caio Coppola (à dir.) e Augusto de Arruda Botelho (à esq.) Imagem: Reprodução/CNN Brasil
do UOL

Do UOL, em São Paulo

08/07/2020 23h29

Monalisa Perrone ameaçou encerrar a transmissão após troca de farpas entre Caio Coppola e Augusto de Arruda Botelho, durante a exibição de "O Grande Debate", quadro de debates promovido pela CNN Brasil.

A confusão começou depois que Botelho acusou Coppola de mentir e propagar fake news durante debate acalorado realizado no dia anterior. Irritado, Coppola voltou a tocar no assunto no início do programa de hoje para defender a "minha credibilidade e reputação" e rebater "sucessivas grosserias" de seu debatedor. (Assista ao vídeo abaixo)

Após fala de Coppola, Monalisa interveio na discussão e, visivelmente irritada, pediu para que os debatedores focassem no tema em questão, que discutia o retorno de campeonatos de futebol em meio à pandemia do novo coronavírus.

"Deixando muito claro, então, pedindo uma gentileza aos debatedores: para gente ficar no assunto, obviamente. Vocês são notificados. Então podemos voltar ao assunto de hoje, por gentileza?!", questionou Monalisa.

"Eu acho que não... Eu gostaria de tratar, por exemplo, se Beatles é melhor do que Rolling Stones. Se a gente tem liberdade de tratar, aqui, o tema que bem entende... Eu acho, inclusive, esse tema bastante interessante. Ou a gente poderia tratar se pizza pode ser comida com ou sem catchup", ironizou Botelho, em seguida.

Monalisa, então, insistiu. "Augusto e Caio, por gentileza. Não é essa a questão da gente transformar isso aqui em um ringue, em uma balbúrdia. A proposta do debate não é essa. Então, eu peço aos dois que tenham respeito ao telespectador, a mim e à CNN. Se vocês quiserem voltar ao assunto de ontem, o.k. É possível a gente ter uma coerência?", perguntou a âncora.

"Não, infelizmente, eu vou ter que responder a dois pontos do Caio. Sinto muito", devolveu Botellho. "Então vamos cancelar o debate de hoje", ameaçou Monalisa.

No fim, a apresentadora da CNN deu o direito de resposta a Botelho e, mesmo com clima tenso, seguiu com o debate entre os dois participantes.

Indiretas no Twitter

Após o término do quadro, Augusto de Arruda Botelho publicou mensagens nas redes sociais em tom de desabafo e ganhou apoio de Gabriela Prioli, ex-participante de "O Grande Debate" —ela chegou a pedir demissão da CNN após episódio envolvendo Reinaldo Gottino, ex-apresentador do quadro.

"Uma pessoa que coleciona inimigos por todos os lugares por onde passa um dia vai precisar se dar conta de que o problema não são os outros. Imagino o sofrimento dessa constatação", escreveu Botelho, sem citar Coppola nominalmente.

"Tenho muito orgulho de nos 20 anos de advocacia - ambiente de constante debate - ter colecionado tantos amigos. Vários que não pensam da mesma forma que eu. O segredo é manter a lealdade, o respeito e a honestidade intelectual. No fundo, é disso que se trata um grande debate", acrescentou.

Minutos depois, Prioli ressaltou nos comentários. "Ahhhh, meu amigo, eu acho que a consciência existe. Deve ser triste viver assim e ficar preso a um jogo de cena que não permite voltar atrás. As pessoas entregam o que tem dentro delas."

Debate acalorado

No programa, Coppola e Botelho —comentaristas com visões antagônicas— discutem vários assuntos, principalmente aqueles que envolvem o governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

A dupla já havia protagonizado um debate acalorado a ponto de Monalisa precisar interromper, em maio. (Assista ao vídeo abaixo)

Na ocasião, o tema escolhido foi o lockdown na cidade de São Paulo, defendido pelo advogado, que usou como argumento os leitos lotados por conta do coronavírus para a iniciativa. Caio, por outro lado, rebateu e disse que Augusto será contratado "em breve" pelo governo do estado.

"Os seus argumentos são tão populistas que imagino que você seja, em breve, contratado pelos gabinetes ou do governador ou do prefeito de São Paulo. Afinal, ontem você também estava se gabando de ter soltado acusados da Operação Lava Jato", disse Caio, que é bacharel em direito.

Botelho ficou incomodado com a acusação do colega de quadro. "Quem trabalha com política é você, Caio, e não tenho qualquer intenção política. Quem vai se candidatar com certeza é você. Esperem o Caio nas próximas eleições".

Entretenimento