PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

'Diário de um Confinado' estreia na Globo com tudo gravado à distância

Bruno Mazzeo em cena da série "Diário de um Confinado" - Globo/Glauco Firpo
Bruno Mazzeo em cena da série 'Diário de um Confinado' Imagem: Globo/Glauco Firpo
do UOL

Do UOL, em São Paulo

30/06/2020 15h45

Sentimentos, incertezas, melancolia e paranoias rondam os dias de várias pessoas no confinamento pela pandemia do novo coronavírus, e os dias de Murilo, personagem de Bruno Mazzeo, em "Diário de um Confinado" não são diferentes. A série multiplataforma estreia neste sábado (4) na TV Globo e no Multishow na segunda-feira (6) e já está disponível no Globoplay, contando crônicas cotidianas de um rapaz no isolamento.

O projeto foi elaborado pela diretora artística Joana Jabace, que ao lado do marido Mazzeo, gravaram todas as cenas no apartamento do casal no Rio de Janeiro. Contaram com participações remotas, como de Debora Bloch, Lúcio Mauro Filho, Fernanda Torres, Renata Sorrah, Arlete Salles e Lázaro Ramos. A produção também foi feita à distância, como um desafio para a reinvenção na maneira de pensar a montagem artística.

"Assistente de direção, produção de arte, montador, pós-produção, figurino, efeito especial. Todos os departamentos foram participando cada um de sua casa. Entramos de cabeça nesse desafio imbuídos de fazer dar certo e nos reinventarmos", explica Joana.

"Foi uma novidade desafiadora, desde a prova de figurino por chamada de vídeo até o gravar e editar em casa. Adaptamos nosso apartamento e, ao mesmo tempo, fomos mexendo no texto para que coisas que já tínhamos fossem utilizadas. Normalmente, um cenário é construído de acordo com a necessidade do texto. Dessa vez foi o contrário. Mas todos os desafios todos tornaram o trabalho ainda mais prazeroso", complementa Mazzeo.

Para as filmagens, foram enviados cerca de 230 objetos para o set de filmagens que se tornou o apartamento do casal, a fim de dar um ar mais bagunçado, demonstrando o caos que se tornou a vida de Murilo depois do confinamento.

"Levamos bastante vivência, vários objetos. A casa deles é bem clean e nós queríamos um ambiente mais pesado, mais bagunçado, de um cara largado. Demos uma entulhada, uma desorganizada na sala da Joana, que se transformou no loft do Murilo. Transformamos o sofá num sofá cama, providenciamos uma mesa de centro, tipo um container, para o personagem colocar sua baguncinha. Também incluímos uma mesa de escritório, uma arara de roupas, bicicleta", explica Didi Maakaroun, produtora de arte da série.

Entretenimento