Topo

Andressa Urach lembra 'tempo vergonhoso' e namoro com chefe de facção

"Cheguei a dormir com sete homens em um único dia", disse ela em entrevista à rádio Jovem Pan - Reprodução
'Cheguei a dormir com sete homens em um único dia', disse ela em entrevista à rádio Jovem Pan Imagem: Reprodução
do UOL

Do UOL, em São Paulo

09/10/2019 15h07

Divulgando o seu segundo livro, Desejos da alma, que será lançado no próximo dia 17, Andressa Urach foi a convidada de hoje do programa Pânico, da rádio Jovem Pan.

Após sobreviver a uma infecção generalizada decorrente de diversos tratamentos estéticos, Andressa abordou o período que antecedeu os problemas de saúde e o classificou como "tempo vergonhoso".

"Eu não tinha princípios. Eu era uma vergonha. Aquela época foi vergonhosa. Cheguei a dormir com sete homens em um único dia", disse. "Eu cheirava de manhã, de tarde e de noite. E seu Deus não tivesse me resgatado eu teria me jogado do sétimo andar do meu prédio. Então o problema com o hidrogel foi a pior e a melhor coisa que me aconteceu... Porque se meu filho tem mãe hoje foi graças a isso."

Depois de ser diagnosticada com uma infecção nas pernas, causada pela aplicação de hidrogel e PMMA (substância plástica usada em preenchimentos), a ex-Miss Bumbum viveu um período conturbado. O estado de saúde delicado fez com que Andressa mudasse radicalmente o estilo de vida, convertendo-se ao cristianismo.

"Eu vi minha alma saindo corpo. Fui para o julgamento. Eu ia ser condenada ao inferno. Eu passei por essa experiência. Foi real. Graças a Deus eu tive essa oportunidade."

Andressa afirmou ainda ter certeza que não mudaria o estilo de vida caso não tivesse passado por tantos obstáculos. "Não mesmo! Eu estaria morta ou em um presídio, porque eu namorava chefe de facção! Eu estaria vivendo aquela vida se não fosse os problemas de saúde que tive. Acho que estaria em um presídio... Gente, eu namorava um chefe de facção. Estou viva pela misericórdia de Deus", explicou Urach antes de se emocionar.

"Acredito que estaria no hospício porque eu ouvia vozes, via vultos e usava drogas. Eu estaria internada ou morta. Nem viva estaria... O meu antigo namorado morreu com 70 tiros de fuzil em um carro blindado. Eu provavelmente estaria com meu filho lá dentro. Era para ele ser um futuro bandido", destacou.

Andressa também aproveitou o espaço para pedir desculpas à família pelos "erros do passado" e ressaltar a importância da religião na sua vida atual. "Eu era uma vergonha para a minha família, para o meu filho, uma mulher vulgar. Eu era tão vulgar, asquerosa e nojenta que não pensava nas consequências para o meu filho. Queria me desculpar com todos eles", afirmou.

"O que eu encontrei não tem cocaína que preencha. Abri a Bíblia e tive um êxtase maior que a cocaína."

Andressa Urach revela doença que pode matá-la

Band Entretenimento

Mais Entretenimento