Topo

As mágicas mais perigosas do mundo

Instagram/Reprodução
O mágico Drummond Money-Coutts, que apresenta o programa e recria os truques Imagem: Instagram/Reprodução
do UOL

Osmar Portilho

Do UOL, em São Paulo

2019-06-26T04:00:00

26/06/2019 04h00

A morte do mágico indiano Chanchal Lahiri, de 42 anos, que tentava reproduzir um truque clássico de Harry Houdini, é mais um episódio fatal no mundo do ilusionismo. Infelizmente, as mortes que acontecem em função de truques que dão errado não são tão incomuns neste tipo de performance arriscada, seja por falta de estrutura ou despreparo.

A série Mágica Mortal, disponível na Netflix, foi lançada no ano passado e mostra justamente oito episódios que foram fatais para seus protagonistas. A série foi criada pelo ilusionista Drummond Money-Coutts, que, em seus oito episódios, tenta reproduzir algumas das performances que deram errado, além de outros clássicos.

Karr, o Misterioso - 1930

Charles Rowan, conhecido como Karr, o Misterioso, já havia realizado o truque diversas vezes: preso em uma camisa de força, ele tenta se soltar do aparato deitado no meio da estrada enquanto um carro acelera em sua direção. Ele teria cerca de um minuto. Na ocasião, acabou tendo um ataque cardíaco durante a performance e não conseguiu sair da trajetória do veículo. O motorista, por sua vez, não pôde desviar da estrada, que estava cheia de pessoas. Karr perdeu uma perna e morreu ali. Segundo a série, parte da encenação mostrava o ilusionista assinando um termo de que isentaria o motorista de qualquer acidente que poderia ocorrer.

Reprodução
Joe Burrus tentou escapar de caixão, mas acrílico cede ao peso do concreto e o matou Imagem: Reprodução

Magnífico Joe Burrus - 1990

Inspirado por Houdini, Joe Burrus já havia realizado a performance com sucesso um ano antes, mas decidiu ir além. Além de ser colocado algemado e acorrentado em um caixão sob a terra, o mágico quis colocar 30 cm de concreto sobre o caixão. O problema é que o acrílico não aguentou o peso da massa e quebrou, fazendo o concreto cair sobre Joe, que não resistiu.

Gilbert Genesta - 1930

Ele estava aposentado e voltou para realizar o truque que já havia feito várias vezes e que também ficou famoso por ter sido realizado por Houdini. Ele foi acorrentado e submerso em uma lata de leite. O problema foi que seus assistentes derrubaram a lata e o mecanismo de escape foi danificado. Gilbert acabou preso dentro da lata até seu oxigênio se esgotar.

Library of Congress/Getty Images
Harry Houdini em registro feito por volta do ano 1899 Imagem: Library of Congress/Getty Images

Harry Houdini - 1926

O mágico mais famoso do mundo morreu em 31 de outubro de 1926, aos 52 anos, em Detroit, depois de ser internado com a peritonite seguida da ruptura do apêndice. Tudo começou dois dias antes, antes de se apresentar no Princess Theatre, em Montreal. No incidente, o mágico, que era famoso por resistir a golpes na barriga - que também faziam parte de seu show, recebeu três socos de Jocelyn Gordon Whitehead ainda em seu camarim.

De acordo com testemunhas, os golpes teriam sido efetuados com muita força e subitamente, sem dar tempo de Houdini se preparar para o impacto. O ilusionista seguiu os dois dias posteriores enfrentando muita dor e febre, sempre ignorando os conselhos de procurar ajuda médica. Ainda existe a incerteza se a ruptura aconteceu por causa dos golpes ou se Houdini já estava enfrentando um caso de apendicite.

Doc Tarman Conrad - 1977

Em outro clássico da mágica, este mágico era famoso por fazer o truque que é uma variação da roleta russa. Uma nova assistente que era treinada por ele se esqueceu da ordem das balas que estavam no barril e acabou atirando com uma cápsula nova que tirou a vida do mágico. Em um fórum onde mágicos conversam sobre diversos temas, um levantamento mostra que cerca de 16 ilusionistas morreram durante truques com armas de fogo.

Reprodução
Cartaz de show d'O Grande Lafayette, morto em 1911 em um incêndio Imagem: Reprodução

O Grande Lafayette - 1911

O excêntrico mágico Sigmund Neuberger, conhecido como O Grande Lafayette, fazia um show em Edimburgo, na Escócia, e, durante um ato de desaparecimento, uma lâmpada quebrada fez com que todo o palco fosse incendiado rapidamente. Após as chamas serem controladas, três horas após o incidente, um corpo foi encontrado com as roupas de Lafayette, mas não era ele, e sim um dublê usado na apresentação. O corpo do mágico estava debaixo do palco e pôde ser identificado por meio de um anel de diamantes que ele usava. Ele inicialmente havia escapado das chamas, mas voltou para tentar salvar seu cavalo.

Karel Soucek - 1985

Embora seus feitos estejam muito mais próximos de um dublê do que de um ilusionista, a história do canadense é retratada na série em seu último episódio. Karel Soucek ficou famoso por descer as Cataras do Niágara a bordo de uma espécie de barril metálico que criou, onde atingiu a velocidade de até 120 km/h na queda. Sua morte, no entanto, aconteceu em outra performance, no Astrodome, em Houston. Dentro do barril, ele foi solto de uma altura de 54 metros para cair dentro de uma piscina. Mas o barril atingiu a borda e o impacto causou muitos ferimentos na cabeça e pescoço de Soucek, que foi resgatado com vida, mas morreu uma hora depois no hospital.

Mais Entretenimento