Topo

Luca Bueno, filho de Galvão, quer um Oscar: "Me inspiro em Spielberg e Tarantino"

Reprodução
Luca e Galvão Bueno gravam juntos Imagem: Reprodução
do UOL

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

2019-06-26T04:00:00

26/06/2019 04h00

Luca Bueno, filho mais novo do narrador Galvão Bueno, já decidiu que não vai seguir os passos do pai: ele quer mesmo é ser cineasta e já está treinando em seu canal no YouTube. Com 18 anos recém-completados, o garoto vai entrar na faculdade em setembro para desenvolver seu sonho e, quem sabe, garantir um Oscar.

"Ideias não faltam na minha cabeça", diz Luca em entrevista ao UOL. "Vai ser na faculdade que eu vou conhecer pessoas que podem me ajudar a fazer algumas dessas ideias se tornarem um curta ou um longa, ou conhecer quem podem me indicar para produtoras. E lá no futuro, vai que uma ideia dessa não ganha um Oscar para o Brasil?".

Vendo os irmãos partirem para o automobilismo e o pai como a principal figura do jornalismo esportivo do país, Luca tinha apenas 5 anos quando foi impactado por Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros, clássico de Steven Spielberg que marcou uma geração.

"Foi aí que começou minha paixão pelo cinema, porque o que o Spielberg fez naquele filme nunca ninguém tinha feito antes", conta o youtuber. "Eu saí de lá querendo ir para o Jurassic Park, ver dinossauros e virar arqueólogo."

Na ocasião. Luca estava com o pé machucado e não podia brincar no quintal com os amigos. Em casa, decidiu ligar a televisão e percebeu como o cinema pode mudar um momento difícil. "E nesse momento eu descobri o poder dos filmes, como podem te tirar de um momento triste e fazer você esquecer de seus problemas."

E eu acho que é por isso que eu quero fazer cinema, para mostrar, nem que seja por duas horas, que as pessoas podem esquecer dos problemas e só se divertirem.

Inspirações

Como já ficou evidente, Spielberg é um dos ídolos de Luca, mas Quentin Tarantino entra nesta lista também. "Me inspiro muito no Spielberg pela maneira como ele conta as histórias, como ele faz cada personagem parecer que tem um pedaço de você e como o público sai do cinema parecendo que está dentro do filme."

"Do Tarantino é pela maneira como ele escreve um diálogo. Eu posso ficar cinco horas vendo três pessoas falarem em um jantar escrito por Tarantino, porque sem dúvida vai ser muito interessante."

"[Admiro também] O jeito como ele não liga para os padrões de Hollywood, como ele faz o que ele acha que deve ser feito. Isso é muito raro hoje em dia na indústria", analisa Luca.

Uma publicação compartilhada por Luca Bueno (@lucabuenomovies) em

Saindo da cadeira de diretor, Luca aponta ainda que seu ator preferido é Leonardo DiCaprio, principalmente pela forma como o astro usa sua influência para falar sobre as mazelas do mundo.

"Maior exemplo disso foi quando ele aceitou um Oscar, e em vez dele falar alguma coisa como todo mundo, ele sacrificou todo o tempo dele para falar sobre o mundo e como a gente está poluindo o planeta. E eu acho isso muito legal, usar essa influência que ele tem para abordar isso", acrescenta.

Documentário sobre Galvão

Luca Bueno conta com quase 800 mil seguidores em seu canal no YouTube e vem gravando vídeos há mais de um ano. No começo, ele apostava em apresentar sua luxuosa vida em Orlando (EUA), onde mora, mas aos poucos se arriscou em tentar mostrar os dotes cinematográficos.

Seu último projeto chama Amor, um curta de 15 minutos que ele protagoniza ao lado da namorada Yasmin Vilela. Porém, por enquanto, ele está organizando novas ideias para chegar na Full Sail University Place, na Flórida, e aprender muito.

"Na faculdade, eu quero fazer o máximo que eu posso para conseguir o meu espaço em Hollywood. Mesmo sendo um estrangeiro, não quis uma faculdade grande que tinha um curso de cinema", conta Luca.

Obrigado a todos que fizeram meu aniversario de 18 anos inesquecível!!!!

Uma publicação compartilhada por Luca Bueno (@lucabuenomovies) em

"Eu quis uma faculdade 100% focada no cinema, porque isso vai me ajudar muito não só a aprender coisas novas, mas também como vender um filme e contar uma história, fazer muitos contatos para lá na frente me ajudar com isso", completa o estudante.

E se o primeiro trabalho dele fosse um documentário sobre o pai? Este é mais um sonho do estudante, mas por enquanto ele está com os pés no chão.

"Já pensei muito sobre isso. Mas eu não faria agora, nem quando estiver na faculdade, porque eu não terei os recursos que um filme sobre a história dele merece, pelas histórias que ele tem e os sacríficos que ele fez para chegar onde chegou."

"Mas eu quero muito vir aqui no Brasil e produzir uma história sobre ele. Mostrar para o mundo, não somente para o Brasil, conhecer a pessoa maravilhosa que ele é", finaliza.

Mais Entretenimento