Topo

Virada tem arrastões e denúncias de assédio durante a madrugada

Marcelo Justo/UOL
Público escalou estruturas para ver melhor o show de Caetano Veloso Imagem: Marcelo Justo/UOL
do UOL

Anahi Martinho

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-05-19T01:45:30

2019-05-19T11:34:27

19/05/2019 01h45Atualizada em 19/05/2019 11h34

A madrugada chegou, e o clima de calmaria que dominou a Virada Cultural no início da noite ficou para trás. A reportagem do UOL presenciou arrastões e situações de assédio na região entre os palcos São Bento e Anhangabaú.

A estudante Marina Dionísio, 20 anos, acompanhada da namorada, Marina Souza, 21 anos, e da amiga Fabíola Silva, 22 anos, afirma que reclamou com a polícia três vezes sobre situações de assédio e não foi atendida.

"Tem muito mano desrespeitando as minas aqui. Já avisei três guardas e eles falaram 'Ah, tudo bem'. Ninguém se mobilizou. A gente chegou na Sé e tinha um cara agredindo uma mulher. Parei um GCM, ele falou 'Vou fazer o que posso e qualquer coisa vou abordar'", contou Marina, indignada. "Eles nem olharam. Não estão nem aí", reclamou.

Marina afirma ter denunciado ainda um homem que urinou em público, no meio do show, dentro de uma lata de cerveja. Novamente, a polícia não tomou nenhuma atitude.

Os seis policiais de plantão no Palco São Bento, onde ocorria o show do Baco Exú do Blues por volta de 1h de domingo, afirmaram não ter visto nenhuma ocorrência desde a troca de plantão, às 23h.

"Tirando isso, a virada está excelente. Eu venho todo ano faz uns 10 anos já, desde que me entendo por gente. Vim para ver Baco Exú, Flora Matos, SNJ, Dubversão", contou Marina.

No fim da madrugada, porém, o clima voltou a ficar mais tranquilo. Entre as ruas Barão de Itapetininga, Sete de Abril e Dom J. de Barros, o comércio ainda estava aberto por volta das 4h. Bares, botecos e restaurantes de fast food também funcionavam, atraindo frequentadores do evento entre um show e outro. Uma loja de kebab tinha fila dando a volta no quarteirão.

Tranquilidade e fé

As primeiras horas da Virada Cultural de São Paulo haviam sido tranquilas para quem decidiu aproveitar os shows do centro. Da Praça da Sé passando pelo Patriarca e chegando ao Anhangabaú, não houve muvucas, e o clima era de segurança e festa.

A Praça da Sé recebeu um palco voltado para a música cristã, e os fiéis lotaram a região para acompanhar as primeiras apresentações do evento.

Priscilla Alcantara, ex-apresentadora do "Bom Dia & Cia", do SBT, subiu ao palco por volta das 18h e arrastou os fãs. O culto a céu aberto contou com orações, muita emoção e até um cover de "Shallow", do filme "Nasce uma Estrela", cantada originalmente por Bradley Cooper e Lady Gaga.

A Sé foi uma das regiões que mais atraíram público no início da Virada, principalmente pela popularidade de Priscilla. A música continua no palco com Rick Digilio e Dunga.

Diferentes misturas e estilos

A 500 metros da Sé, o hip-hop tomou conta da festa com Rincon Sapiência e ATTOXXA no Patriarca - Experimenta, apesar do atraso de quase uma hora. Ali perto, no Anhangabaú, as crianças se divertiram com o Palavra Cantada, enquanto a República celebrou a diversidade com Marina Lima e Letrux.

E isso foi só o começo. Os rappers Black Alien e Criolo foram algumas das atrações que agitaram o público.

Caetano e filhos

Caetano Veloso e seus filhos Moreno, Zeca e Tom se apresentaram no palco montado embaixo do Viaduto do Chá. A apresentação foi aberta com o clássico "Alegria, Alegria", seguido de gritos do público de "Ele não". Caetano e os filhos, no entanto, não se manifestaram. Na sequência, eles apresentaram "Baby" e "O Seu Amor". O quarteto está excursionando com a turnê "Ofertório" desde 2017, e o show de Caetano foi um dos mais concorridos da noite, com o público ocupando desde o Viaduto do Chá até a avenida São João.

Apresentações na rua

Além dos shows maiores, grupos de dança foram vistos pelas ruas, assim como barracas de som, que atraíram a galera mais animada.

Alguns prédios históricos do centro também apostaram em iluminações temáticas e em projeções visuais para criar uma ambientação especial para a ocasião, contrastando com passagens escuras e vazias de ruas do entorno.

A Virada Cultural segue pela madrugada do domingo e termina oficialmente às 18h. Entre as atrações mais aguardadas estão Anitta, Pabllo Vittar, Thiago Abravanel, Rosa de Saron, Vitor Kley e Emicida.

Mais Entretenimento