Topo

Globo estuda acabar com marcas CBN e Globo FM; SGR nega

Reprodução/Rádio Globo
Maju Coutinho comanda programa na Rádio Globo, em São Paulo Imagem: Reprodução/Rádio Globo
Ricardo Feltrin

Ricardo Feltrin é colunista do UOL desde 2004. Trabalhou por 21 anos no Grupo Folha, como repórter, editor e secretário de Redação, entre outros cargos.

do UOL

Colunista do UOL

2019-04-14T13:23:14

2019-04-21T13:10:21

14/04/2019 13h23Atualizada em 21/04/2019 13h10

O Grupo Globo começou a informar internamente a (alguns) funcionários das rádios CBN e Globo que as duas marcas devem desaparecer. Serão substituídas, possivelmente, pelas grifes GloboNews FM e Multishow FM. A Globo nega (veja mais abaixo nota oficial).

Neste domingo, a coluna confirmou com três fontes diferentes a informação publicada em primeira mão pelo site "SRZD".

Neste domingo à tarde o Grupo Globo, por meio de sua assessoria, disse que "todas as especulações a respeito de mudanças no Sistema Globo de Rádio são inverídicas; CBN e rádio Globo seguem no ar" (nota: a coluna não disse que as frequências sairiam do ar). Veja nota completa ao final deste texto.

Também disse que "(o sistema de rádio) Globo vem passando por uma reestruturação no último ano e que não há nada oficial (sobre mudanças de nomes)".

Reunião de avaliação

A Globo tomou essa decisão após várias análises, inclusive da consultoria Accenture. Houve uma reunião na última sexta-feira, no rio, com membros da SGR e do Grupo Globo.

Ainda não há data exata dessas mudanças, mas não devem ser imediatas.

Todas as empresas do Grupo Globo estão sendo abrigadas numa espécie de guarda-chuva corporativo muito maior que o atual. O objetivo, tudo indica, é mudar o "rumo" das FMs, alinhando-as à linguagem das plataformas em vídeo do grupo.

É a chamada sinergia --que também traz custos sociais graves: muitas demissões.

Se for mesmo implantada, a GloboNews FM deve reproduzir a programação atual da GloboNews, mas há possibilidade de que também tenha uma produção exclusiva, com jornalistas e colunistas próprios (como a Globo faz com seus sites, por exemplo).

Já a rádio Globo a previsão seria se tornar a Multishow FM, com programação leve, hits e estilos do momento. O atual formato, que privilegia notícias e bate-papos deve ser extinto, deve mudar drasticamente.

Outro Lado - SGR

Na manhã desta segunda (15) o Grupo Globo enviou a seguinte note, que complementa a já enviada ontem à noite.

"A CBN é um sucesso estabelecido, firmada como a maior rádio de notícias do Brasil, não havendo nenhuma possibilidade de sua descontinuidade. Pelo contrário, seguimos investindo no seu fortalecimento e no jornalismo de qualidade que caracteriza a emissora há quase 30 anos. A Rádio Globo segue em busca do seu caminho de sucesso. Há dois anos fizemos transformações importantes buscando reverter tendências negativas de faturamento e uma operação deficitária. Nem todas as mudanças trouxeram os resultados que esperávamos. Seguimos em permanente avaliação da programação com o objetivo de atender da melhor maneira a demanda dos nossos ouvintes. O projeto Uma Só Globo, como dito desde o seu lançamento, não envolve as rádios do Sistema Globo de Rádio. Portanto, a Accenture, consultoria do projeto Uma Só Globo, não tem absolutamente nenhuma relação com as decisões que envolvem nossas emissoras de rádio. Lamentamos a forma irresponsável e descomprometida com os fatos com que essas notícias foram publicadas, gerando ansiedade e preocupação desnecessárias em um grande número de funcionários, seus familiares, afiliados, parceiros e ouvintes. Marcelo Soares, diretor geral do Sistema Globo de Rádio."

Mais Entretenimento