PUBLICIDADE
Topo

Duda Beat indica seus lugares preferidos para curar a sofrência no Rio

A cantora Duda Beat - Divulgação
A cantora Duda Beat Imagem: Divulgação
do UOL

Kamille Viola

Colaboração para o Urban Taste, no Rio de Janeiro

14/03/2019 04h00

Um dos destaques dos lançamentos de 2018, o disco "Sinto muito", de Duda Beat, foi inspirado nas próprias experiências amorosas da cantora - em geral, decepções. A bem-sucedida combinação de letras intensas e melodias inspiradas, que vão do trap ao tecnobrega, vem conquistando cada vez mais pessoas país afora e rendeu à música feita pela artista o rótulo de sofrência pop.

Pernambucana, Duda se mudou para o Rio há 14 anos, e foi em terras cariocas que, por mais de 10 anos, viveu os desencontros afetivos narrados nas 11 canções do álbum. Foi também na cidade que encontrou a cura para seu coração partido, ao transformar suas dores em música e ao ver seu amigo de infância Tomás Tróia, produtor de seu disco e músico de sua banda, se tornar seu par romântico.

Como uma heroína de novela, Duda, que sempre se apaixonou por músicos, hoje vê os homens que a magoaram na plateia de seus shows. Parece que o jogo virou, não é mesmo? Com o mesmo bom humor com que canta suas desventuras, ela traça um roteiro com os lugares que frequentou para curar as desilusões amorosas.

Comuna

Aberto em 2011, o bar descolado tem comidinhas (os hambúrgueres são famosos, mas também há opções veganas) e drinques que fazem sucesso. A área aberta e a calçada em frente ao espaço são concorridas: a Comuna transformou a Rua Sorocaba em um novo "baixo" carioca, e DJs fazem a trilha sonora. Para Duda, lá se tem muita liberdade e é onde dá para encontrar pessoas incríveis. "Foi onde eu vivi a maior parte do meu disco e acho significativo, hoje em dia, ir lá com uma sensação de que estou bem, de que estou curada. Inclusive, a música 'Ninguém dança' é para a Comuna. Então é um lugar que superindico no Rio, ele me deixa feliz."

Vai lá:
Rua Sorocaba, 585, Botafogo, Rio de Janeiro.
Terça e quarta, das 12h à 1h.
Quinta e sexta, das 12h à 1h30.
Sábado, das 18h30 à 1h30.
Domingo, das 18h30 à 0h.
Telefone: (21) 3579-6175

CoLAB

Também em Botafogo, a casa ajudou a revitalizar uma outra área do bairro. O CoLAB funciona como espaço colaborativo para pequenos produtores cariocas. Até as 16h, é servido brunch, com sanduíches, saladas, pratos de inspiração indiana, kombucha, cerveja e drinques. À noite, o clima muda e as calçadas ficam lotadas com uma galera jovem e moderna. Foi lá o primeiro show da vida de Duda e, inclusive, um dos caras para quem ela fez algumas músicas do disco estava lá assistindo. "Sabe final de novela? Estava eu lá, cantando, em um dos meus lugares favoritos do Rio, totalmente feliz, realizada, namorando, e o outro lá, olhando para a minha cara, me admirando ainda mais", lembra. Fora isso, a cantora é amiga dos donos e viu tudo crescer. Durante as obras, ela tocou (e gravou vídeo de) três músicas lá: "Bixinho", "Bedi Beat" e "Todo Carinho". "Então é um espaço que tem muita história para mim. E é bem bom para curar a sofrência, porque tem gatinhos, dá para paquerar, tomar uma cerveja. Eu gosto muito."

Vai lá:
Rua Fernandes Guimarães, 66, Botafogo, Rio de Janeiro.
Terça a sábado, das 10h à 1h.
Telefone: (21) 3592-0470

Rasta Beach

A barraca fica na Praia do Leme e é um dos points descolados deste verão, onde Duda mergulha em qualquer dia da semana. Até show de lançamento de clipe de artista já aconteceu por ali. Para ela, é mais um cenário perfeito para espantar a dor de cotovelo. "É um lugar muito gostoso, com energia boa. Tomo aquele mate com bastante limão - porque eu não gosto muito de mate, mas com muito limão, quase um suco de limão, eu tomo. Adoro lá, é bom para dar uma paquerada também." Mas agora ela não paquera porque está muito bem casada. "Ele [o marido] vai comigo e a gente observa a galera, muito jovem, muito feliz. Ficam rolando uns reggaes, um dub. Curei a sofrência lá várias vezes, banho de mar é a melhor coisa para isso."

Vai lá:
Avenida Atlântica, em frente ao Posto 1 (altura da Rua Anchieta), barraca 20, Leme, Rio de Janeiro.
Diariamente, das 8h às 19h.
Telefone: (21) 97454-3346

Bar do Serginho

Localizado em um cantinho particularmente tranquilo do bairro boêmio de Santa Teresa, é um misto de bar e armazém despretensioso, com mesinhas de plástico espalhadas pela calçada - por sinal, o espaço preferido dos clientes. Duda costuma ir para lá domingo, quando está no Rio, para tomar café da manhã. "Fica numa ruazinha gostosa, com umas casinhas bonitinhas. Já chorei muito lá", conta, porque serve tanto para comer depois da balada, como para começar o dia. "Tem um brie que você abre e ele derrete todo, que nem uma cachoeira! Eu amo, é muito bom para curar a bebedeira também, é um café da manhã reforçado."

Vai lá:
Rua Dias de Barros, 2A, Santa Teresa, Rio de Janeiro.
Segunda a sexta, das 7h às 14h e das 17h30 às 22h.
Sábado, das 8h às 21h30.
Domingo, das 9h às 16h.
Telefone: (21) 2509-6957

Parque Eduardo Guinle

Parque Eduardo Guinle - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Originalmente, o espaço era parte da chácara que abrigava a mansão dos Guinle, tradicional família de empresários cariocas. Atualmente, o edifício é conhecido como Palácio das Laranjeiras e é a residência oficial do governador do estado, o que faz com que a área tenha policiamento constante. O jardim foi projetado pelo paisagista francês Gérard Cochet e mais tarde remodelado por Burle Marx. Possui um lago artificial que abriga gansos, patos, marrecos, cisnes e galinhas. Tem brinquedos para as crianças e atrai de piqueniques a festinhas de aniversário. À direita de quem entra, está um conjunto de edifícios projetado por Lucio Costa no fim da década de 1940, considerado uma espécie de ensaio para a construção de Brasília.

Moradora do bairro, Duda Beat já contou muito com o ambiente bucólico, frequentado por famílias, para deixar a tristeza para lá. "Uma ótima pedida para quem está sofrendo e tem alguma criança para acompanhar. Fui muitas vezes levando o meu sobrinho para tomar picolé e brincar lá. Ele ficava correndo atrás dos patos", conta. A pegada, para ela, é comer uma pipoquinha de manhã. "Sou uma pessoa muito do dia, acordo cedo. Estar em contato com a natureza, colocar uma canga no chão e sentar por ali é muito bom. Já fiz isso bastante, e foi uma cura para mim. Estar perto de criança dá uma renovada na nossa energia."

Vai lá:
Rua Gago Coutinho, 66, Laranjeiras, Rio de Janeiro.
Aberto 24 horas.

Circo Voador

"É a minha night no Rio de Janeiro. Enquanto o povo vai para boate, eu vou assistir a um bom show no Circo Voador", diz Duda. O espaço supertradicional no Rio, criado no início dos anos 1980, foi palco de apresentações de peso ao longo dos anos e acompanhou o início da carreira de nomes como Barão Vermelho, Legião Urbana, Os Paralamas do Sucesso, Capital Inicial e muitos outros. Até hoje sedia shows históricos e recebe festivais, eventos de cultura e projetos voltados para educação.

A cantora também faz parte do hall de grandes artistas a pisar no palco da lona. "Foi uma grande conquista para mim. Estar ali em cima, sentir aquela energia, olhar como é de cima... É um ângulo diferente, que eu ainda não tinha conhecido. Foi um dos melhores shows da minha carreira, sem sombra de dúvidas", lembra. Sem contar que foi mais uma história de "o mundo dá voltas" no amor. "Um dia eu estava lá embaixo, vendo um cara por quem eu era apaixonada tocar, e no outro eu estou lá em cima - totalmente curada, totalmente feliz, realizada profissionalmente e emocionalmente - e ele está lá embaixo me vendo. É muito louco. Foi um banho de satisfação e felicidade."

Vai lá:
Rua dos Arcos, s/nº, Lapa, Rio de Janeiro.
Veja a programação no site.
Telefone: (21) 2533-0354

Entretenimento