PUBLICIDADE
Topo

Força da pintura de Tàpies volta ao Brasil com exposição rebelde

12/03/2019 21h57

São Paulo, 12 mar (EFE).- Uma exposição inaugurada nesta terça-feira em São Paulo reúne uma seleção de obras do artista espanhol Antoni Tàpies (1923-2012) para ressaltar sua contribuição inovadora ao mundo da arte contemporânea, sobretudo no uso de materiais como cordas e areia sobre os óleos.

A galeria Bergamin & Gomide exibirá até o próximo dia 27 de abril dez criações do artista catalão, todas elas produzidas a partir dos anos 70 e repletas da força e do espírito rebelde que caracterizaram sua carreira.

"Tàpies encontrou muitas das suas inspirações na rua, nos muros, nas palavras dos protestos que faziam as pessoas. Escrevia muito e era uma pessoa muito politicamente envolvida", afirmou à Agência Efe o diretor da galeria, Thiago Gomide.

Trata-se da primeira mostra póstuma de Tàpies no Brasil, onde suas obras não eram expostas há cerca de 15 anos.

A ideia é ressaltar a contribuição de Tàpies às artes plásticas, uma vez que é considerado um dos pioneiros em utilizar novas linguagens, formas e materiais.

"É um artista que trabalhava com expressão, com muito movimento do corpo", destacou Gomide.

As obras, que podem ser compradas com preços que oscilam entre R$ 215 mil e R$ 3 milhões, procedem de coleções particulares de Barcelona e da própria família do artista.

Todas elas datam a partir da década de 70, uma época-chave na história da arte mundial na qual a pintura clássica entrou em crise para abrir passagem a um movimento completamente novo do qual fez parte o mestre espanhol.

"A pintura de Tàpies não tem um sabor de riqueza, de elegância, de classe, tem um sabor de rua, de coisa dura, de potência, de juventude e força. É este o espírito que tem sua pintura", comentou Gomide.

Não faltam nesta mostra as criações nas quais se misturam pintura e materiais como argila, pó de mármore, cordas, facas, objetos, papel e barras de tela, assim como objetos descartáveis, areia e terra.

O diretor explicou que, apesar das reduzidas dimensões da galeria, considerou importante trazer obras de grandes dimensões que caracterizam o estilo do artista.

É o caso de "Díptic de la sabata"(1988), que está formado por pinturas sobre papelão, e "Escuma compartimentada" (1986), uma pintura sobre uma superfície de espuma e madeira.

Para o diretor da galeria paulista, o regresso de Tàpies ao Brasil oferecerá a muitos jovens a possibilidade de conhecer em primeira mão e pela primeira vez suas obras, através das quais sentirão "na pele a força da sua pintura".

"Ele foi uma influência muito grande como pessoa, porque escrevia, lutava e participava de muitos grupos de debate e foi através da sua arte que podia fazer isto de verdade, além de dar-lhe o prestígio que necessitava para ser escutado", explicou Gomide. EFE

Entretenimento