Topo

"BBB19": Polícia pede para interrogar Paula sobre intolerância religiosa

Reprodução/GloboPlay
Na conversa com Diego e Hariany, Paula disse que tinha medo de Rodrigo por ele ter contato com "esse negócio de Oxum" Imagem: Reprodução/GloboPlay
do UOL

Ana Cora Lima

Do UOL, no Rio

2019-02-22T19:08:30

22/02/2019 19h08

A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) do Rio de Janeiro solicitou à Globo, na tarde de hoje, a entrada de uma equipe policial na casa do "BBB19" para interrogar Paula e Rodrigo. A informação foi confirmada pelo delegado titular Gilbert Stivanello ao UOL.

"Fizemos um contato com a emissora solicitando a possibilidade de ouvir os dois envolvidos no caso: a suposta autora e a suposta vítima. Pedimos um espaço reservado porque a nossa intenção não é tirá-los do programa e, consequentemente, provocar uma dupla eliminação. Os interrogatórios vão nos ajudar a dar andamento a apuração já realizada", explicou Stivanello.

Reprodução/TvGlobo
Rodrigo também será ouvido pela polícia Imagem: Reprodução/TvGlobo
O delegado confirmou que Paula é investigada por causa das declarações durante uma conversa com Diego, já eliminado, e Hariany. Na ocasião, a mineira disse que tinha medo de Rodrigo por ele ter contato com "esse negócio de Oxum". Ela também declarou que "nosso Deus é maior".

"Estamos apurando a forma como ela se referiu e se ela foi pejorativa ou desdenhosa ou até discriminatória em relação ao participante que é candomblecista Quero confrontar o que ela disse no programa com o que disser pessoalmente. Vou conversar também com o Rodrigo para saber se ele sentiu ofendido", explicou o delegado que concordou ter tido outros comentários polêmicos. "Houve vários episódios, mas não vi tipificação de crimes".

"A Globo pediu para ver a possibilidade do espaço reservado e ficou de retornar o contato no inicio da próxima semana", contou Gilbert.

A Globo foi procurada e não enviou declaração sobre a situação.

Mais BBB19