Topo

Baterias se destacam na primeira noite de ensaios técnicos na Sapucaí

Reprodução/Facebook/Mocidade
Mocidade Independente de Padre Miguel durante ensaio técnico na Sapucaí Imagem: Reprodução/Facebook/Mocidade
Anderson Baltar

Anderson Baltar é jornalista, formado pela UFRJ e tem 42 anos. Com mais de 15 anos de experiência na mídia carnavalesca, foi assessor de imprensa da União da Ilha e Império Serrano, produtor de Carnaval da TV Globo e trabalhou em coberturas de desfiles nas rádios Manchete e Tupi. Desde 2011, é âncora e coordenador da Rádio Arquibancada, web rádio com programação inteiramente voltada para o Carnaval. Em 2015, lançou o livro "As Primas Sapecas do Samba", ao lado dos também jornalistas Eugênio Leal e Vicente Dattoli.

do UOL

11/02/2019 09h05

Para marcar o retorno dos ensaios técnicos à agenda dos sambistas cariocas, a Marquês de Sapucaí foi brindada por um festival show das baterias. Unidos de Vila Isabel, Mocidade Independente de Padre Miguel e Unidos da Tijuca apresentaram conjuntos de ritmistas afiados, com extrema precisão e qualidade. Animada, a primeira noite de treinos já dá o tom de que este Carnaval poderá ser definido nos quesitos de canto, dança e ritmo.

O público no Sambódromo foi apenas razoável. Certamente, o curto prazo para divulgar o evento deve ter contribuído, assim como o calor ter inclemente deste domingo. O fato é que, às 20h, quando a Unidos de Vila Isabel deu início ao seu ensaio, apenas as arquibancadas e frisas dos setores iniciais da avenida estavam ocupados.  O espetáculo que se seguiria merecia arquibancadas lotadas.

Em busca de retomar seu papel no Desfile das Campeãs, a Vila Isabel entrou na avenida demonstrando estar cumprindo bem seu papel nos concorridos ensaios de rua que promove às quintas-feiras. O apenas razoável samba-enredo foi entoado com energia pelos componentes da Vila Isabel, que desfilaram soltos e de forma vigorosa. O retorno do intérprete Tinga é claramente um incentivo a mais, assim como a efetivação de Macaco Branco como mestre de bateria. De volta à cadência tradicional e extremamente afinada, a "swingueira de Noel" arrancou muitos aplausos.

Com a maior torcida presente nas arquibancadas, a Mocidade Independente de Padre Miguel iniciou seu ensaio pouco antes das 22h. Desde o grito de guerra do intérprete Wander Pires, as arquibancadas explodiram e cantaram, a plenos pulmões, o ótimo samba da escola. As alas evoluíram felizes e deram a mostra de que a Mocidade, tecnicamente, evolui a cada ano. A bateria de mestre Dudu ousou nas tradicionais paradinhas e demonstrou muita precisão. A Mocidade passou, com sobras, pelo teste.

Reforçada do diretor de Carnaval Laíla, a Unidos da Tijuca, que tradicionalmente sempre foi uma escola extremamente técnica e bem ensaiada, potencializou ainda mais a qualidade de seu desfile. O samba-enredo, a despeito de ser melódico, impulsionou a evolução e foi praticamente urrado pelos componentes, que desfilaram soltos e animados. Ao lado do intérprete Wantuir, Laíla distribuía sorrisos. A bateria de Mestre Casagrande deu um verdadeiro show de precisão e ritmo. Coadjuvante nos dois últimos Carnavais, a Tijuca mostrou que está disposta a dar muito trabalho em 2019.

Os ensaios técnicos prosseguem no próximo final de semana, com entrada franca e início às 20h. No sábado (16), ensaiarão Salgueiro, Viradouro e Grande Rio. O domingo (17) contará com as participações de Portela, São Clemente e Mangueira. 

Mais Entretenimento