Topo

Ex acusa Vanderson, do "BBB19", de agressão; família do brother nega

Fotomontagem/Arquivo Pessoal/Reprodução/Globo
Ex de Vanderson Brito, do "BBB19", acusa o participante de agressão física e psicológica Imagem: Fotomontagem/Arquivo Pessoal/Reprodução/Globo
do UOL

Felipe Pinheiro

Do UOL, em São Paulo

10/01/2019 16h22

O anúncio do biólogo Vanderson Brito no elenco de participantes do "BBB19" caiu como uma bomba na vida da ex-namorada do brother, Maíra Menezes, que o acusa de agressão física e psicológica. A família dele nega as acusações.

Ainda na noite de quarta-feira (9), quando o biólogo foi revelado entre os novos brothers durante a programação da Globo, Maíra afirma que seu celular não parou de tocar.

Em relato ao UOL, a estudante de 27 anos diz ter namorado o brother, oito anos mais velho do que ela, por um ano. O caso teria acontecido cerca de 10 anos atrás. 

"Como todo e qualquer relacionamento abusivo começou aos poucos. Aconteceram várias coisas que eu não consigo falar abertamente porque me machucam muito", diz. Ela conta ter sofrido agressão psicológica por diversas vezes e uma vez violência física.

"Ele chegou na minha casa, estava bêbado. Fomos deitar e começamos uma discussão. Ele começou a me empurrar e eu a querer me levantar. Toda vez que eu me levantava ele me empurrava de novo. Até que ele me segurou pelos cabelos e começou a apontar o dedo na minha cara e a gritar comigo", afirma. 

"Na hora, a única coisa que eu pensava era não acredito que isso está acontecendo comigo. Sabe quando você não imagina que isso está acontecendo com você? E justo aquela pessoa que eu amava! Eu era muito nova, muito apaixonada", contou a estudante, chorando.

"Comecei a gritar e a minha empregada começou a bater na porta porque ele tinha trancado. Foi quando ele me soltou e começou a falar que eu era louca. Peguei as coisas dele e a jogar fora da minha casa. Mandei ele embora". 

Maíra diz que, na época, a vergonha e o medo a impediram de registrar um boletim de ocorrência. Ela também afirma que as amigas, também do círculo social de Vanderson, não acreditaram em sua versão. A estudante diz que se sentia culpada por ter sido agredida.

"Me sentia [culpada] várias vezes. Desde ontem fico repensando a imagem porque durante muito tempo fui desacreditada. Tive vergonha e medo [para denunciar]. Fiquei uma semana sem sair de casa e sem pentear os cabelos porque doía o meu couro cabeludo de tão forte que ele puxou". 

Coragem para denunciar

Maíra vivia com os pais, em Rio Branco, no Acre, na época em que namorava Anderson. Ela diz que por muito tempo não se tocava no assunto em casa e que somente quando ela entrou em um grupo de discussão feminista, com mulheres que sofreram agressões, é que criou coragem para compartilhar a história. 

"Comecei a me envolver com o movimento feminista em 2012. Fui a um encontro com promotores, delegados e uma mulher contou tudo que ela passou sem ter vergonha. E eu não contava pra ninguém porque eu tinha vergonha. Por diversas vezes eu já falei de outros homens agressores e os expus no meu Facebook. Eu estava com medo ontem, mas já fiz isso tantas vezes... Por que não vou fazer por mim?", questiona.  

Desde que publicou acusação em sua conta do Facebook, Maíra diz que três mulheres entraram em contato com ela para contar que também foram agredidas pelo biólogo. Segundo a estudante, elas não se sentem seguras até o momento para exporem suas histórias.

"Espero que a Justiça seja feita. Que ele tenha o que merece", afirma, que espera que o ex não permaneça entre os participantes do "BBB19". "Não sei se vão querer outro agressor de mulheres no 'Big Brother'".

A estudante, no entanto, espera que outras mulheres que também sofreram agressões tomem conhecimento da sua história e tenham coragem para denunciar os agressores. 

"Espero que as mulheres denunciem, não só na internet, mas vejam o meu caso. Se tivesse denunciado, eu teria o [exame de] corpo de delito e ele não teria feito outras vítimas. Que as mulheres não tenham medo", afirma. 

"Acusação é falsa"

Procurada pelo UOL, a irmã de Vanderson, Vanda Brito, confirmou que Maíra namorou o participante do "BBB", mas negou as acusações e disse que a família entrará com um processo por calúnia e difamação. 

"Pela idoneidade dele e criação que tivemos da nossa mãe tenho certeza que ele não fez isso. Essas acusações são falsas. Essa moça tinha muitos problemas psicológicos, tanto é que o caso deles não deu certo. Era uma menina muito agressiva, ciumenta. Vamos tomar as providências e colher as provas", disse.

"Conheço muito bem o meu irmão e ele não é capaz de cometer uma covardia dessa contra uma mulher. Nós, suas irmãs e mãe, não admitiríamos", completou Vanda. 

No site oficial do "BBB", Vanderson é descrito como único homem numa casa com quatro mulheres: a mãe, Nilza, e as irmãs, Vanderléia, Vênus e Vanda. "Minha mãe era comerciante e passava o dia inteiro fora. Então, basicamente, minhas irmãs mais velhas fizeram a construção do que sou hoje. A gente sempre teve uma relação muito próxima, mas muito séria porque eram quatro mulheres criando um homem sozinho. Era diferente para elas, mas funcionou", diz o brother.

A irmã do biólogo afirmou que a Globo entrou em contato para tranquilizar a família, assegurando que a permanência dele no reality continua garantida.

Procurada, a assessoria de comunicação da emissora disse, por e-mail, que aguarda a apuração do caso.

"A Globo é veementemente contra qualquer tipo de violência, mas cabe às autoridades competentes a apuração de denúncias como a que está sendo feita. Se assim for, a Globo tomará medidas, como já fez em outras edições do programa".

Mais BBB19