Topo

Ex-namorada de Dinho, dos Mamonas, quebra silêncio após 20 anos do desastre aéreo

Alex Ribeiro/Folhapress / Reprodução/Rede Record
Imagem: Alex Ribeiro/Folhapress / Reprodução/Rede Record

do BOL, em São Paulo

26/02/2016 00h25

Ex-namorada de Dinho, vocalista da banda Mamonas Assassinas que morreu no desastre aéreo que dizimou toda a banda em 2 de março de 1996, a produtora Mirella Zacanini ganhou destaque na época após dizer que escreveria um livro sobre seu relacionamento com o cantor. O anúncio, feito apenas três dias após o acidente, provocou irritação nos fãs da banda, que a acusaram de querer se promover com a tragédia.

Menos de um mês após a tragédia, Mirella lançou o livro "Pitchulinha, Minha Vida com Dinho - Até que os Mamonas nos Separem". A obra não foi bem recebida pela crítica na época. No dia 19 de abril de 1996, Barbara Gancia, então colunista da Folha de S.Paulo, escreveu uma crítica ao livro. "O livro nada mais é do que um patético desfile de bilhetinhos, fotos e cartas que Dinho e Mirella trocaram durante três anos e quatro meses de namoro", escreve a colunista, dizendo que o livro tenta provar, em vão, que Dinho amou Mirella. "Foram os dez reais mais funestos que já gastei", lembra a colunista da Folha.

Após esse momento conturbado, Mirella sumiu dos holofotes, e nunca mais voltou a dar entrevistas sobre o namoro com Dinho, com quem se relacionou no início dos anos 90, quando a banda ainda se chamava Utopia. Nunca mais... até agora.

No último dia 21, no "Domingo Show", Mirella quebrou o silêncio e, 20 anos após o acidente dos Mamonas, voltou a falar sobre Dinho. Em entrevista ao apresentador Geraldo Luís, a ex-namorada de Dinho contou que eles se conheceram na garagem de sua casa, onde bandas amadoras se apresentavam. O relacionamento durou 3 anos e quatro meses, até a banda assinar um contrato com uma grande gravadora, em maio de 1995.

Segundo Mirella, o comportamento do cantor mudou e ele estava sendo pressionado pelo empresário para terminar o namoro. "Eu pedi para ele mudar a postura, senão nós iríamos terminar. Ele disse que estava sofrendo uma pressão do empresário e que ele tinha que abrir a mão de uma coisa para ter a outra. Ele falou com essas palavras. Ficamos umas quatro horas na garagem discutindo e chorando", revelou a moça no programa

Após a exibição da entrevista, o produtor Rick Bonadio, empresário dos Mamonas no auge do sucesso da banda, fez um post no Facebook dizendo que a entrevista exibida era "um grande erro". "Inverdades e histórias inventadas", escreveu Rick (o post foi deletado da rede social dias depois).

No programa, Mirella diz que ainda sente saudades do amado. "Eu sei que eu vivi um grande amor, e que não se apagou. Ele foi o grande amor da minha vida!". 

Vale lembrar que na época do acidente, quando o avião dos Mamonas chocou-se na Serra da Cantareira (SP) após uma manobra errada do piloto, Dinho namorava a modelo Valeria Zoppello, que atualmente está casada e segue carreira de fotógrafa.

Além de Dinho, morreram no acidente o tecladista Júlio Rasec, o guitarrista Bento Hinoto, os irmãos Samuel e Sérgio Reoli, baixista e baterista da banda, respectivamente, além de dois assistentes da banda e o piloto e co-piloto da aeronave, um jatinho Learjet.

Entretenimento