Topo

15 vilãs de novelas que vão atormentar sua memória para sempre

do BOL

18/06/2015 16h00

Não são poucas as vezes que a vilã rouba não só os personagens da novela, mas também a cena e conquista o público. Não importa se as vilanias são para defender a família, conquistar um amor ou melhorar de vida, fato é que as rivais das mocinhas muitas vezes são interessantes, bonitas, misteriosas e até engraçadas. Preparamos uma lista com algumas das carismáticas malvadas que fizeram sucesso nas tramas da Globo.

 

1. Nice (“Anjo Mau”, 1976)

Montagem/Divulgação/Rede Globo
O nome da novela entrega: carinha de anjo e gênio mau. Vivida por Suzana Vieira, a bonita, pobre e dissimulada Nice queria ser rica e madame a qualquer custo. O sucesso da trama foi tão grande que um remake foi ao ar em 1997. Na nova versão, coube a Glória Pires o papel da babá calculista Imagem: Montagem/Divulgação/Rede Globo

 

2. Odete Roitman (“Vale Tudo”, 1988)

Divulgação/Rede Globo
Arrogante e mesquinha, a vilã é uma das mais queridas da história das novelas. A personagem interpretada por Beatriz Segall gostava de garotões, mas não suportava a vida no Brasil e menos ainda os brasileiros. O mistério envolvendo seu assassinato parou o país e até hoje a frase “quem matou Odete Roitman?” é lembrada até por quem não gosta de novela Imagem: Divulgação/Rede Globo

 

3. Maria de Fátima (“Vale Tudo”, 1988)

Divulgação/Rede Globo
Bastante egoísta e ambiciosa, a personagem vivida por Glória Pires não media esforços para se dar bem e subir na vida. Nem mesmo sua mãe Raquel (Regina Duarte), que teve a casa onde morava vendida, escapou de suas maldades. A gana para vencer era tão grande que Maria de Fátima conquistou uma grande aliada, a super vilã Odete Roitman (Beatriz Segall) Imagem: Divulgação/Rede Globo

 

4. Joana (“Fera Radical”, 1988)

Reprodução/Rede Globo
A matriarca dos Flores odiava Cláudia (Malu Mader), que voltou para a cidade para vingar a morte de toda família. Com a intenção de impedir o casamento de seu filho predileto com a rival, a personagem representada por Yara Amaral tenta matar a futura nora e, durante a discussão, confessa ter planejado e executado o massacre que deixou a mocinha órfã 15 anos antes Imagem: Reprodução/Rede Globo

 

5. Perpétua (“Tieta”, 1989)

Divulgação/Rede Globo
A ultra conservadora e fanática religiosa era a personificação do inferno na vida da irmã Tieta (Betty Faria). Sempre de luto, a vilã feita por Joana Fomm chamava a irmã de quenga, mas guardava no armário uma misteriosa caixa branca. Ao lado de Amorzinho (Lília Cabral) e Cinira (Rosane Gofman), Perpétua fazia o que fosse possível para defender a moral e os bons costumes Imagem: Divulgação/Rede Globo

 

6. Raquel (“Mulheres de Areia”, 1993)

Divulgação/Rede Globo
A irmã gêmea da doce Ruth era tão ruim que destruía até as esculturas de areia feitas por Tonho da Lua (Marcos Frota). Para sair da vila de pescadores onde morava e subir na vida, a personagem vivida por Glória Pires roubou o namorado da irmã e assumiu sua personalidade. Antes da década de 90, a rivalidade das irmãs já havia sido contada em 1973, quando Eva Wilma representou os papéis Imagem: Divulgação/Rede Globo

 

7. Adma (“Porto dos Milagres”, 2001)

Divulgação/Rede Globo
A vilã fazia o que fosse necessário para defender os interesses do marido Félix (Antonio Fagundes) e não pensava duas vezes em passar por cima de quem tentasse obstruir seu caminho. O trunfo de Adma, interpretada por Cássia Kiss Magro, estava literalmente em suas mãos: um anel com veneno dentro. Atrapalhou seus planos? É hora de experimentar o veneno Imagem: Divulgação/Rede Globo

 

8. Nazaré Tedesco (“Senhora do Destino”, 2004)

Divulgação/Rede Globo
A vilã, que tinha como sua maior parceira a escada, fez tanto sucesso que até personagens de outras novelas imitaram a ídolo. Vivida por Adriana Esteves na primeira fase e por Renata Sorrah na segunda parte da novela, a debochada e vaidosa Nazaré matou o marido, sequestrou a filha de outra mulher e não poupava ninguém que pudesse atrapalhar seus planos Imagem: Divulgação/Rede Globo

 

9. Bia Falcão (“Belíssima”, 2005)

Divulgação/Rede Globo
Quem não se lembra da intolerante e impaciente matriarca da família Assumpção? A vilã representada por Fernanda Montenegro fez tudo que estava a seu alcance para conseguir que os netos fizessem o que ela queria e os negócios continuassem em ordem. A grande surpresa aconteceu no final da trama, quando Bia Falcão forjou a própria morte e fugiu para Paris com um homem muito mais novo Imagem: Divulgação/Rede Globo

 

10. Flora (“A Favorita”, 2009)

Divulgação/Rede Globo
A expressão “lobo em pele de cordeiro” é perfeita para definir a perversa vilã interpretada por Patricia Pillar. Após sair da cadeia acusada de matar o amante e marido da antiga parceira Donatela (Claudia Raia), a ex-cantora sertaneja Flora infernizou a vida da colega alegando que Donatela era a real assassina. A indefinição sobre os papéis de mocinha e vilã agitou a trama e conquistou o telespectador Imagem: Divulgação/Rede Globo

 

11. Clara (“Passione”, 2010)

Divulgação/Rede Globo
O rosto angelical de Mariana Ximenes escondia uma verdadeira peste, que fazia qualquer coisa por dinheiro. Para chegar a seu objetivo, Clara enganou Totó (Tony Ramos) e, planejando matar o italiano, casou com o imigrante para ficar com toda herança. Mesmo sendo presa no decorrer da trama, a vilã conseguiu se dar bem no final da história e acabou em uma paradisíaca ilha no Pacífico Imagem: Divulgação/Rede Globo

 

12. Tereza Cristina (“Fina Estampa”, 2011)

Divulgação/Rede Globo
Interpretada pela atriz Christiane Torloni, a chiquérrima vilã odiava pobreza e não fez pouco para tentar acabar com Griselda (Lília Cabral). Depois de sequestrar a rival, fugiu em um barco que afundou após uma tempestade. No entanto, Tereza Cristina -que evocou Nazaré e usou a escada para resolver seus problemas- reapareceu linda e loira anos depois Imagem: Divulgação/Rede Globo

 

13. Carminha (“Avenida Brasil”, 2012)

Divulgação/Rede Globo
Representada por Adriana Esteves, a vilã traiu e roubou o marido, sequestrou, maltratou a filha gordinha, colocou o amante na família e abandonou a enteada Nina (Débora Falabella) e o próprio filho no lixão. Apesar do péssimo caráter, a durona Carminha e suas ácidas tiradas conquistaram o grande público Imagem: Divulgação/Rede Globo

 

14. Lívia (“Salve Jorge”, 2013)

Divulgação/Rede Globo
A bela e charmosa vilã representada por Claudia Raia apresentava-se como agenciadora de talentos artísticos, com excelentes contatos no mundo da moda e do entretenimento, mas, na verdade, era nada menos que a chefe de uma quadrilha que traficava seres humanos. Além de levar meninas para a prostituição no exterior, matou, sem pestanejar, duas pessoas que atravessaram seu caminho Imagem: Divulgação/Rede Globo

 

15. Cora (“Império”, 2014)

Divulgação/Rede Globo
A invejosa e recalcada Cora fez tudo que pode para separar a irmã de seu grande amor. E conseguiu. Aliás, a vilã interpretada por Marjorie Estiano e Drica Moraes também nutria um amor platônico pelo cunhado e acreditava que apenas ele poderia tirar sua virgindade e fazê-la feliz. Graças ao amor obsessivo de Cora, José Alfredo (Chay Suede/Alexandre Nero) escapou da morte Imagem: Divulgação/Rede Globo

 

 
Gostou da lista? Curta e compartilhe! Sua vilã favorita ficou de fora? Comente!

Mais Entretenimento