Topo

Afastada da TV, Marcia Goldschmidt revela drama vivido por filha doente

A apresentadora Márcia Goldschmidt  - Marisa Cauduro/Folhapress
A apresentadora Márcia Goldschmidt Imagem: Marisa Cauduro/Folhapress

do BOL, em São Paulo

26/12/2013 08h57

A ex-apresentadora Márcia Goldschmidt, conhecida por seu bordão "Mexeu com você, mexeu comigo" está afastada da TV há três anos, quando se mudou para Portugal ao lado do marido, o advogado, Nuno Rego.

Ao lado do amado, ela realizou um sonho: ser mãe novamente, só que desta vez aos 50 anos. As gêmeas Victoria e Yanne nasceram prematuras e precisaram ficar dois meses internadas.

Quando as meninas estavam com cinco meses, os médicos descobriram que Yanne sofria de atresia de vias biliares, uma alteração rara em canais do fígado que, além de atrapalhar a digestão, provoca cirrose e necrose do órgão. O diagnóstico tardio teve graves consequências: o bebê teve que ser submetido a um transplante em novembro.

O problema é que a doença algumas vezes é confundida com outro mal: a icterícia. "A história da Yanne pode mudar a vida de muitas crianças. Icterícia a partir do 15º dia não é normal e deve ser investigada", disse Márcia Goldschmidt em entrevista ao programa "Domingo Espetacular".

A pequena Yanne precisava de um transplante de fígado. O doador compatível foi o filho do primeiro casamento de Márcia, Jimmy, de 19 anos, que revelou o sentimento de ajudar a irmã: "Quando eu saí do quarto onde eu estava no hospital e vi que ela estava bem, que foi por causa de um órgão meu que ela estava bem, foi emocionante. Se alguém puder doar um fígado ou outro órgão, faça. Você vai perder uma semana, duas do seu dia a dia e você salvou alguém".

O transplante aconteceu em novembro, em São Paulo. Os médicos acreditam que em seis meses o fígado de Jimmy já estará regenerado. Yanne, que passou duas semanas internadas, já está na casa da apresentadora no Brasil.

Márcia acredita que suportou a situação por não parado para pensar muito no que estava acontecendo: "Eu tive uma postura proativa. Eu não parei um minuto. Há 14 meses eu não sei o que é descansar, que eu não sei o que é pensar em mim. Eu vivi esses 14 meses pensando nas minhas filhas. Não só na Yanne, porque a Victória acabou levando esse peso. Não podia dar tanta atenção para ela pela minha concentração na Yanne", lamentou ela, que não se conteve e caiu em lágrimas durante a entrevista.

"É uma dor dilacerante, porque a gente não quer ver um ser tão indefeso sofrendo tanto, sendo picado a todo instante, procedimentos que são extremamente invasivos até para um adulto, ainda mais pra um bebê... O que aconteceu comigo é bem daquelas coisas que você acha que só acontece com os outros, ou que só acontece na novela. O que aconteceu comigo não quero que aconteça com ninguém", concluiu.

(Com informações do F5)

Entretenimento