Carnaval 2018

Carnaval 2018

Menos tapa-sexo e mais marquinha: os trajes das musas e rainhas do Rio

Marco Antônio Teixeira/UOL
Rainha Viviane Araújo brilhou à frente da bateria do Salgueiro com uma fantasia de rainha-faraó Imagem: Marco Antônio Teixeira/UOL

Liane Rosa

Colaboração para o UOL, no Rio

13/02/2018 15h28

Érika Bronze, a mentora do bronzeamento de fita, deve estar orgulhosa. Com os tapa-sexos em baixa, a "tendência" do Carnaval das musas e rainhas foi a marquinha de biquíni. Sabrina Sato, Raíssa Oliveira (Beija Flor), Evelyn Bastos (Mangueira), Fernanda Souza (União da Ilha), Viviane Araújo e sua arqui-rival Gracyanne Barbosa exibiram as suas.

Sempre à frente, Vivi veio com uma ousada marquinha desenhada, que aparecia por trás do comportado sutiã de paetês gigantes. A rainha do Salgueiro lidera a enquete do UOL de musa que mais brilhou na Sapucaí.

Bruna Prado/UOL
Gracyanne Barbosa é a rainha de bateria da União da Ilha e também apostou na marquinha Imagem: Bruna Prado/UOL
No quesito parte de baixo, o Sambódromo viu brilhar neste ano o triquíni, nomenclatura para a traseira com um triangulozinho finalizando o fio-dental. Sutilezas tão pequenas quanto os tapas-sexos, em desuso atualmente. Nove entre dez, investiram no triquíni: Viviane, Sabrina, Bianca Monteiro...

Na baixa do tapa-sexo, Juju Salimeni, Andrea Martins e Rosi Barreto foram as poucas adeptas.

“Não sei o tamanho do meu, acho ele até grande demais, mas é confortável, não machuca." E se ele cair? A modelo também tem a resposta. "Sou da opinião que só cai com quem quer que caia. A cola usada deixa impossível de cair", disse Juju, cujo traje incluiu apenas proteção para os mamilos, popularizados dentro e fora do Sambódromo. Cleo Pires que o diga.

Reprodução/Instagram
Juju Salimeni desfilou de tapa-sexo: "Não sei o tamanho do meu" Imagem: Reprodução/Instagram
Andrea Martins, que tinha como objetivo usar o "menor tapa-sexo" da avenida, diz ter certeza que a micropeça não cai: “Não tem perigo. Fica sempre no lugar. Neste ano, escolhi um de látex, menor, de 2,5cm. Permite uma aderência maior ao corpo”. Para cobrir o resto, ela usa pintura. “Sou musa das pinturas. Tenho confiança no meu corpo então por que não fazer?”

Outra pelada da vez foi Rose Barreto. Destaque da Ilha do Governador e integrante da escola há dois anos, a carnavalesca que há 17 desfila na avenida informa que se sente muito bem com a pouca roupa: “O tapa-sexo é a melhor coisa, em nada incomoda. Garanto que é muito confortável". Para exibir o corpo e não fazer feio no dia, ela garante que se dedica à malhação. “Para manter este corpo, muito treinamento sério.”

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Anderson Baltar
Da Redação
UOL Entretenimento
Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Entretenimento
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo