Carnaval 2018

Enquanto uns sonham em emagrecer, candidatos a Rei Momo querem mais quilos

Mariana Pekin/UOL
Paulo Cesar Carvalho está preparado para evento com seus 117 kg Imagem: Mariana Pekin/UOL

Janaína Nunes

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/01/2018 04h00

Enquanto muita gente inicia o ano prometendo fazer aquela dieta milagrosa para perder alguns quilinhos, existe uma turma seguindo o caminho inverso: o da engorda ou ao menos aquele que ajuda manter o corpo rechonchudo em forma. Os candidatos ao posto de Rei Momo de 2018 se encaixam nesta segunda categoria e ainda caem no samba no final.

O concurso que escolherá a corte do Carnaval de São Paulo acontecerá no dia 25 de janeiro, aniversário da cidade, e desde o fim do ano passado os candidatos estão comendo muito bem para melhorar a silhueta e fazer bonito no Palácio das Convenções do Anhembi. O motorista Paulo Cesar Carvalho, 48 anos, o Babu, está mais que preparado para o evento. Ele que já foi Rei Momo 14 vezes por cidades do Grande ABC, tenta levar a coroa pela primeira vez na capital.

Mariana Pekin/UOL
Duas paixões de Babu: samba e feijoada Imagem: Mariana Pekin/UOL

“Peso 117 kg e tenho 1,71 m de altura e estou saudável. Como bem, mas procuro fazer pratos coloridos em casa. Quando estou trabalhando, minha alimentação é um pouco pesada. Como muito macarrão, por exemplo. Fora isso, como mais peixe, legumes e saladas”. O problema é realmente é o período da labuta. Quando está circulando pela região central de São Paulo, ele não consegue evitar a boa e velha feijoada às quartas-feiras... nem aos sábados.

 “Estava de férias e maneirei um pouquinho, mas ao voltar a trabalhar não deu para resistir a uma feijuca, mas como moderadamente. Esse é o segredo”, diz Babu, que fez questão que a reportagem o acompanhasse no almoço (com moderação, claro).

Babu já foi mais cheinho. Chegou a pesar 150 kg. Quando a medida começou a prejudicá-lo, ele emagreceu e permaneceu no 117 kg. “Faço caminhadas semanais e vou ao médico regularmente. Tento ter controle da situação. Do contrário, o joelho não aguenta nem ao andar muito menos ao sambar. Geralmente, faço alguns shows no final de ano. Danço quase uma hora e meia com roupa de veludo. Elimino muitas calorias”, conta.

O motorista, que é integrante da Nenê de Vila Matilde, está dentro dos requisitos exigidos ao posto de Momo. Além de esbanjar simpatia e ter samba no pé, é preciso pesar no mínimo 110 kg e ter entre 18 e 55 anos. É preciso também investir na vestimenta. Os candidatos usam dois modelos no concurso: uma roupa de gala e uma fantasia. Eles chegam a gastar até R$ 5 mil para fazer bonito. Babu conta com a ajuda da família: ele e a mulher desenham os modelitos e o irmão os costura.

Se tiver patrocínio a coisa muda de figura, como é o caso do psicólogo Fábio Rocha ou Fábio Sorriso. Com 36 anos, 126 kg e 1,81 m de altura, ele concorre pela segunda vez ao posto em São Paulo. Já venceu uma disputa em São Caetano (em 2010) e agora tenta novamente conquistar o título na capital.

 “Realmente é um investimento, como tudo na vida. Graças a Deus tenho amigos que me patrocinam. O resto é cuidar do corpo. Sou faixa roxa em jiu-jitsu e tento sempre estar nos ensaios da minha escola (a Dragões da Real) para treinar o samba no pé. Adoro comer, mas evito fritura e gordura. Não fico só na alface como as candidatas à rainha e à princesa, claro. Nunca passo vontade porque posso morrer amanhã”, conclui.

Divulgação
Fabio Sorriso tem 126 kg e quer levar prêmio de Rei Momo em SP Imagem: Divulgação

Tanto Babu quanto Sorriso sabem que não é fácil alcançar o posto de Rei Momo em São Paulo. Ambos já bateram na trave. A concorrência é forte, mas, neste ano, houve uma tentativa de boicote ao evento. Muitos dos candidatos que costumavam participar da disputa regularmente desistiram. As inscrições para a corte, que acabam no dia 16, foram prorrogadas duas vezes. A reportagem conversou com alguns antigos participantes e a reclamação é sempre a mesma: falta de investimento.

O prêmio de Rei Momo, que era R$ 15 mil em 2016, caiu para R$ 2 mil em 2017. Neste ano, o valor será de R$ 3 mil. Segundo a assessoria da SP Turis, que promove o evento em parceria com a Liga das Escolas de Samba de São Paulo, a redução do valor segue a política da nova gestão que é fazer parceria entre o poder público e o privado. De acordo com ela, o prêmio é de R$ 2 mil, porém estão sendo negociadas parcerias para que os vencedores da corte tenham outro tipos benefícios. Até agora nada foi fechado.

“Realmente houve esse movimento, muita gente desistiu. Sinto que falta sim uma maior valorização da corte. São Paulo tem Rei Momo há 50 anos e essa tradição não pode se perder. Muita gente acha que é brincadeira, mas é cultura. Faz parte da história da cidade e isso tem de ser respeitado”, diz Sorriso.

Além de querer representar a cultura da sua cidade, participar do evento tem outro significado para o psicólogo. “Resolvi voltar a disputar este ano para homenagear meu companheiro, Alex, que tentou ser Rei Momo em São Paulo, não conseguiu e venceu em Santo André em 2010. No mesmo ano, eu ganhei em São Caetano. Ele morreu por causa de um câncer no estômago há um ano e sete meses. Foi difícil. Ficamos oito anos juntos. Vou concorrer por ele”, finaliza.

Concurso Corte do Carnaval
Data - 
25/1
Inscrições - até o 16 de janeiro, das 9h às 12 e das 13h às 17h.
Onde - SPTuris - (Avenida Olavo Fontoura, 1209 – Santana)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor